Real Filharmonia de Galicia em estreia absoluta de “Ondas do mar de Vigo” de Vitorino de Almeida no CCB

arrowarrow


A Real Filharmonia de Galicia inaugurou hoje no Grande Auditório a Temporada Darcos 2016 no CCB, havendo a destacar a estreia da obra “Ondas do mar de Vigo” do Maestro António Vitorino de Almeida.

 

Perante um Grande Auditório bem composto de publico, mas longe de encher, a Real Filharmonia de Galicia sob a batuta do Maestro Nuno Côrte Real deu inicio à Temporada Darcos 2016.

 

 

Um dos grandes atractivos deste concerto era a estreia em absoluto de “Ondas do Mar de Vigo”, uma obra composta por António Vitorino de Almeida, numa encomenda feita especificamente para a Temporada Darcos.

 

 

A prestigiada orquestra galega apresentou-se pela primeira vez em Lisboa e para além da obra supramencionada viajou também por compositores como , Mozart, Rossini e Brahms contando em palco com a presença (e que presença), do baixo italiano, Nicola Ulivieri, numa selecção das mais famosas árias daqueles compositores. Nicola Ulivieri já passou por alguns dos maiores palcos do mundo neste género musical e foi vencedor de vários prémios líricos.

 

 

O concerto abriu com “Abertura da ópera La Gazza Ladra de Rossini, após o qual e em breves palavras o maestro dedicou alguns elogios ao Maestro Vitorino de Almeida, presente na plateia, e em que falou também da proximidade entre galegos e portugueses, referindo-se aos galegos como “irmãos”. Lembrou ser casado com uma galega.

 

 

O momento mais aguardado do concerto teve uma interpretação brilhante da obra de Vitorino de Almeida. No final da interpretação o Maestro português deslocou-se para junto do palco, sendo brindado com forte ovação da assistência.

 

 

As Danças Húngaras números 05 e 06 de Brahms antecederam o intervalo.

 

 

Num espectáculo com excelente andamento, a Orquestra interpretou “A abertura da ópera A Flauta Mágica” no inicio da segunda parte mantendo a excelência interpretativa.

 

 

Se a beleza musical era elevada, mais ainda se tornou com a subida a palco do baixo italiano Nicola Ulivieri. Que voz, que presença, que sensibilidade artística. “Bravo!Bravo!Bravo!” ouvia-se na plateia no meio dos longos e sonoros aplausos.

 

 

Com Ulivieri em palco, a Real Filharmonia de Galicia interpretou Don Carlo de Verdi, O Barbeiro de Sevilha de Rossini e As Bodas de Figaro de Mozart.

 

 

Uma hora e meia de uma viagem musical que transportou a assistência para vários planos sentimentais inaugurando da melhor forma a Temporada Darcos 2016.

 

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6269 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.