arrow

arrow


Subtítulo da notícia aqui

Na apresentação à imprensa que decorreu na FNAC Oeiras, marcaram presença para além dos organizadores do festival, a vereadora da cultura da Câmara Municipal de Oeiras, e representantes dos patrocinadores do OCF.

 

 

 

Virginia Carvalhal e Celestino Dias são os mentores e responsáveis por este certame e em declarações ao Infocul começaram por referir que “o principal objectivo deste festival é juntar estilos de musica diferentes, este ano tivemos que trazer alguns nomes maiores, por exigências de patrocinadores, mas queremos que por arrasto desses nomes, as pessoas vejam bandas como os Trama”.

 

 

 

Houve bastante cuidado na construção do cartaz pois “não queremos ter o mesmo género de música nos dois concertos de cada dia, queremos coisas completamente diferentes na mesma noite. Isto é, quem vai ver um estilo de música, não espera ver o outro mas terá que ver, será essa a nossa ideia, queremos que as pessoas sejam surpreendidas, acho que falta um bocadinho festivais deste género, pois a pessoa quando vai ao festival já sabe o que vai ver, compra para ver duas ou três bandas, já sabe o que vai ver. Neste caso já nos aconteceu a pessoa comprar bilhete para ver a primeira banda e depois ser surpreendida com a segunda, ou vice-versa. Esse é o nosso conceito ao fazer este cartaz”.

 

 

 

Questionámos se ao montarem este cartaz, com géneros tão distintos em cada dia, não haveria o objectivo de educarem culturalmente o público, possibilitando que quem vai ao festival aprenda a apreciar outros géneros para além da sua preferência, tendo os organizadores informado que “é uma possibilidade, este festival é um todo, são seis concertos, mas queremos proporcionar essa possibilidade. Aprender a ouvir estilos que não são à partida as nossa preferências é importante. E eete festival também proporciona esse espaço”.

 

 

 

Mas para que este evento se possa realizar houve alguns desafios a serem superados como “a parte financeira é complicada, dai tantos agradecimentos a câmara e aos patrocinadores. Somos apenas os dois, não há uma equipa, às vezes apetece desistir, mas isto é um sonho e dá-me um gosto enorme ver os nomes emergentes da musica a aparecerem, ajudarmos a cultura, é algo que dá imenso gosto” disse Celestino Dias visivelmente orgulhoso.

 

 

 

Virgínia Carvalhal completou ainda dizendo que “os músicos precisam deste espaço e o publico vai habituar-se a assistir a um festival num auditório”.

 

 

 

Importa referir que o Festival irá realizar-se nos dias 08, 09 e 10 de Abril no Auditório Municipal Eunice Muñoz em Oeiras e os primeiros concertos de cada dia começam pelas 21:00.

 

 

 

O cartaz completo é o seguinte:

 

Dia 08: Les Triplettes de Lisbonne e Dino D’Santiago

 

Dia 09: Miguel Amado Group e Cati Freitas

 

Dia 10: Trama e Simone de Oliveira.

 

 

 

Os bilhetes encontram-se à venda nos locais habituais.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6749 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.