arrowarrow


José Manuel Neto, um dos melhores guitarristas portugueses, deixou ontem o Grande Auditório do CCB em êxtase, depois de hora e meia aproximadamente em que mostrou todo o seu virtuosismo e genialidade.

 

 

José Manuel Neto nasceu em Lisboa em 1972. Filho da fadista Deolinda Maria, cresceu em ambiente propício ao desenvolvimento do seu talento, tendo como referências os maiores nomes do universo fadista, como Carvalhinho, José Nunes, Jaime Santos e Fontes Rocha.

 

 

É frequente vê-lo acompanhar alguns dos nomes maiores do Fado como Carlos do Carmo, Camané, Mariza, Ana Moura, Aldina Duarte, Cristina Branco ou Mísia, mas o seu trabalho é reconhecido por todos e neste concerto no CCB, em nome próprio, provou porquê.

 

 

No seu estilo muito próprio imbuído de fluidez, versatilidade e simplicidade frásica, por várias vezes fez o público levantar-se das cadeiras para o aplaudir efusivamente.

 

 

Depois de iniciar o concerto com uma rapsódia de Armandinho, dirigiu algumas palavras ao público, mesmo admitindo que “não tenho muito jeito para falar, mas disseram que eu tinha que falar” soltando gargalhadas. Acrescentou que neste concerto iriam interpretar temas de alguns dos maiores nomes do Fado como “José Nunes, Jaime Santos ou Carvalhinho”.

 

 

Neste concerto contou ainda com a presença de “um amigo e um músico que toca o fado de uma maneira muito especial”, Rao Kyao, que com a sua flauta engradeceu ainda mais as já de si belas sonoridades deste concerto. Ricardo Ribeiro também subiu ao palco e voltou a estar grandioso, tendo sido apresentado por José Manuel Neto como “um dos fadistas que mais admiro da nova geração. Podia ter aparecido em qualquer geração pois é fantástico a cantar”. António Rocha foi o terceiro convidado a subir a palco interpretando “Lisboa Cidade Fado” e “Procura vã” com classe, simplicidade e muito sentimento.

 

 

Ao longo deste concerto o público pôde viajar por várias sonoridades fadistas, tanto instrumental como vocal, perante artistas talentosos e que para além do talento transmitem uma verdade que só quem sente o que faz, consegue.

 

 

José Manuel Neto informou ainda que em Fevereiro/Março sairá o seu disco, que está quase gravado mas não finalizado. Perante tamanha qualidade de espectáculo foi obrigado pelo público a dois encores. No primeiro, acompanhado por Carlos Manuel Proença e Daniel Pinto e os convidados ouviu-se uma desgarrada, em Fado Mouraria. No segundo uma guitarrada que encerrou em grande um concerto já de si extraordinário.

 

 

Um dos músicos mais geniais da actualidade viu esta sexta-feira, o CCB render-se e prestar tributo ao seu talento. Mais que merecido!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.