arrowarrow


O Espaço Escola de Mulheres acolhe a partir de dia 04 de Fevereiro a peça “Um ano sem ti” de João Ascenso e com o elenco composto por Pedro Barroso, Isabel Guerreiro, Ricardo Lérias e Raquel Rocha Vieira, numa produção da Buzico.

 

“Um ano sem ti” que tem texto e encenação a cargo de João Ascenso retrata “a história duma amizade atada a segredos e mentiras, de uma separação adiada dez anos e de um amor vivido ao largo” em que Jorge (Ricardo Lérias) decide tomar conta de Mónica (Raquel Rocha Vieira), Luísa (Isabel Guerreiro) acha que Mónica deve mudar e ainda Henrique (Pedro Barroso) acabou de perder a sua vida.

 

 

Em conversa com o Infocul.pt, o autor e encenador João Ascenso, informou que “escrevi este texto há três anos, foi um desafio que foi lançado por um actor que entra aqui, o Ricardo Lérias, queria criar um texto para um grupo de teatro que tinha na altura, só que por falta de meios nunca conseguimos levar o texto a cena” até que “há um ano e meio/dois encontrei o Duarte Nuno, da Buzico, ele gostou muito do texto e quis logo produzi-lo, e agora estamos aqui a apresentar finalmente”.

 

 

Na altura em que encontrou o produtor Duarte Nuno Vasconcellos, “não tínhamos conseguido sala, portanto fizemos outro texto meu, ‘A noite do choro pequeno’”, tendo “Um ano sem ti” ficado em “standby”.

 

 

O texto foi escrito muito antes da escolha do elenco. Questionámos o porquê da escolha destes actores e de quem partiu a iniciativa da escolha. João Ascenso informou que foi uma escolha conjunta, entre si e a produtora, “foi uma coisa em conjunto, nós trabalhamos em conjunto com esta produtora, eu conheço-os a todos já há algum tempo. Estudei com a Isabel, conheço-a a muitos anos e pensei logo nela para fazer a Luisa, a Raquel foi um desafio pois eu não a conhecia e foi uma proposta do Duarte, o Pedro encaixa como uma luva para a personagem do Henrique” revelando ainda felicidade “com o trabalho destes quatro actores” pois “eles deram uma leitura nova ao texto, é um texto com três anos, passou muito tempo, e eu quando o li agora não me identifiquei muito com ele e com as releituras que deram foi como se houvesse um conciliar com aquilo que eu escrevi”.

 

 

E sobre esta mesma capacidade dos actores acrescentarem valor ao seu texto disse “que eles não se limitam a aceitar as minhas indicações, eles questionam e quando questionam levam-me a pensar e a refazer as minhas ideias, e por isso é que este trabalho foi muito gratificante para mim, porque ele é feito mesmo de uma troca muito grande, entre o que eu escrevi, a ideia que eu tenho sobre o que eu escrevi, e depois as respostas que eles me dão às indicações” algo que “vai enriquecer o texto” pois “se não houver um actor atento, apaixonado pelo que está a fazer e se limite a ser uma marioneta do encenador toda a gente fica a perder. E o público fica a perder. Aqui não. Houve entrega, paixão, houve questões nunca em negação ao que eu estava a propor mas sempre a acrescentar ao que estava a propor” informou visivelmente satisfeito.

 

 

Para a interpretação dos seus personagens em “Um ano sem ti”, os actores para além do trabalho de estudo dos personagens, tiveram também que efectuar algumas alterações comportamentais e até físicas.

 

 

A Isabel [Guerreiro]foi a que sofreu mais alterações, pois eu queria dar-lhe um ar muito diferente, ela é muito morena e eu disse “vai ser uma loura”, em contraponto temos a Raquel que teve de se tornar uma mulher sem interesse, muito pouco feminina, desarranjada, descuidada. O Ricardo Lérias teve que fazer um ar mais arrumadinho, ele não é assim, é mais descontraído. O Pedro teve o desafio de estar em cena sem desviar a atenção do que está acontecer” disse João Ascenso.

.

 

Um dos atractivos deste espectáculo é Pedro Barroso, um actor que o público se habituou a ver na televisão. Nesta peça “acho que vão ter a oportunidade a ver ele fazer um actor maduro, rigoroso e muito entregue ao trabalho que está a fazer. É uma pessoa com quem é muito fácil trabalhar, e vão ficar surpreendidas, há uma serenidade na forma de ele fazer esta personagem, o que tem uma alteração relativamente ao que as pessoas estão mais habituadas a ver ele fazer, personagens mais duros, se calhar isso vai surpreender as pessoas” revelou o encenador.

 

 

João Ascenso foi ainda convidado pelo Infocul.pt a convidar as pessoas a irem ver esta peça a respondeu assim ao desafio “Como é que eu vou puxar a brasa à minha sardinha? Eu acho que este espectáculo é interessantes porque nos leva a pensar sobre o que somos perante os outros. Todos nós temos um lado negro e um lado mais iluminado, ninguém é bonzinho nem ninguém é mauzinho. Nós somos uma mistura e o interessante do ser humano é viver nesse equilíbrio. E este texto fala sobre isso, fala sobre o vilão, que afinal de contas não é tão mau como isso e na pessoa boa que afinal tem uma grande escuridão dentro dela”.

 

 

A partir de dia 04 “Um ano sem ti” estará em cena no Espaço Escola de Mulheres, no Clube Estefânia, às quintas, sextas e sábados pelas 21:30 e aos domingos pelas 17:00, numa produção da Buzico!Produções Artisticas.

 

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6389 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.