Marafona: “Está dito” com duas mensagens muito próprias e com concerto de apresentação marcado

A Marafona acaba de lançar o seu primeiro disco, “Está dito”. Uma viagem pelo cancioneiro tradicional português a que Artur Serra e os seus pares deram um toque contemporâneo.

 

A Marafona é um grupo de música tradicional portuguesa composto por: Artur Serra- canto, Adufe, Bilha, Berimbau, composição e letras; Cláudio Cruz- contrabaixo, composição e canto; Daniel Sousa-guitarra clássica, composição e canto; Ian Carlo Mendoza-percussões, canto e composição e Gonçalo Almeida- guitarra portuguesa, cavaquinho, campaniça, gaita-de-foles, tracanholas, composição e canto.

 

 

“Está dito” é o nome da primeira obra discográfica desta banda de rapazes simpáticos e com uma grande dose de amor a Portugal, às raízes, às suas gentes, e claro à música.

 

A principal mesnagem deste disco acaba por na verdade serem duas como nos explicou o vocalista Artur Serra, “primeiro é que está fechado, pois “Está dito” é uma afirmação de que o disco está acabado que era um dos nossos objectivos, mas por outro lado é também um inicio, uma chamada ao que vem a seguir”.

 

 

Isto porque agora começado, o caminho será para continuar até porque “nós olhamos para isto como uma viagem, com muito trabalho e dedicação por parte de todos os músicos e não nos faz sentido que um disco tenha um fim, mas sim seja um começo” revela-nos ainda Artur.

 

 

Este disco é “para nós, como um filho querido, depois de um ano e meio de muito trabalho” e em que o objectivo é desvendar e transmitir “muitas mensagens, como as historias que as letras contam, há a mensagem sobre a intervenção no património cultural que nos foi deixado e que obviamente temos todo o prazer em agarrar, brincar, misturar” diz-nos visivelmente orgulhoso do disco apresentado.

 

 

A recolha do repertório foi um trabalho minucioso que tem “o estudo de alguns anos, vamos ao cancioneiro tradicional português, fomos ao Museu da Etnografia em Lisboa buscar textos e recolher personagens e histórias que nós fomos adaptando de modo a criar as nossas histórias também, na perspectiva da Marafona, o símbolo da boneca, que para nós é o migrante que vem do interior para Lisboa e vem descobrir a cidade” revela-nos Artur Serra.

 

 

A primeira grande oportunidade para ver a apreciar o talento destes rapazes será no próximo dia 23 de Abril no Teatro Ibérico onde apresentam o disco num concerto muito especial. Em declarações ao Infocul.pt o vocalista Artur Serra não quis revelar muito do que acontecerá neste concerto mas sempre adiantou que “isso é um segredo que está no segredos dos deuses, estamos a preparar algo mais que um concerto, algo especial, um momento único”.

 

 

Convida os fãs a irem até porque “temos um disco bem bonito, vão passar uma noite bem passado e usando um chavão, quem vai a um concerto de Marafona sai bem disposto ou acompanhado por alguém bem disposto”.

 

 

O convite está feito. Agora bastar partir à descoberta da Marafona!

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6751 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.