A UAU efectuará a 25 de Janeiro um ensaio solidário no Teatro Tivoli pelas 21:30, com o lenco da peça “Arte”, composto por Adriano Luz, João Lagarto e Vítor Norte, com a receita a reverter na totalidade para “Apoio à vida”. A entrada tem um custo de cinco euros.

 

A receita dos ensaios solidários são uma forma da UAU apoiar projectos com missões únicas e tão essenciais à sociedade em que todos vivemos” refere a nota de imprensa.

Apoio à Vida é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) nascida em 1998 com a finalidade de ajudar, acolher e formar adolescentes e mulheres grávidas cuja situação socioeconómica, familiar ou psicológica impede de assegurarem sozinhas o nascimento e educação dos seus filhos.

A sua Missão é a Defesa da Vida, desde a concepção até à morte natural, partindo da convicção de que toda e qualquer gravidez deve ser acolhida e que, por mais difícil e complexa que uma situação possa parecer, há sempre a possibilidade de tornar bem-vinda a criança concebida. O seu objectivo último é garantir que qualquer mulher, com dúvidas relativamente à sua gravidez, ou em dificuldades perante tal situação, possa ter quem a apoie, mostrando-lhe a beleza e a dignidade da sua vida e da do seu bebé. Porque ser Mãe é sempre possível!

Em 1998 e 2003, 180 mil espectadores tornaram Arte, com António Feio, José Pedro Gomes e Miguel Guilherme, num sucesso UAU sem precedentes. Em 2016, Arte está de regresso ao palco com novo elenco e nova encenação.

A compra de uma “tela branca com riscas brancas, transversais“, assinada pelo famoso pintor Antrios, não é consensual para três amigos de longa data. Conhecem-se bem mas têm gostos diferentes. Discutem-nos até à exaustão. Até se zangarem. Até dizerem tudo o que queriam e não queriam.

Assinado por Yasmina Reza, Arte é um texto belíssimo e sempre actual sobre a amizade, seus limites e valor. Mas, no fim, a questão permanece: Deverá dizer-se a um amigo querido que o quadro que comprou, e tanto aprecia, de nada vale?” questiona a nota de imprensa

Esta peça conta com texto de Yasmina Reza, tradução efectuada por António Feio, encenação a cargo de Adriano Luz e Carla Sá, cenografia e figurinos de Rui Francisco, desenho de luz de Paulo Sabino, com Joana Saboeiro como assistente de cenografia e Maria Luiz como assistente de figurinos.

A estreia está marcada para o Tivoli a 27 de Janeiro, com a sessões a decorrerem de quinta a sábado pelas 21:30 e aos domingos pelas 16:30 com preços entre os 12 e o 18 euros. Segue depois para o Porto no Teatro Sá da Bandeira a dia 09 de Junho com sessões de quinta a sábado pelas 21:30 e ao domingo pelas 16:30, com bilhetes entre os oito e vinte euros.

Estão também já anunciadas algumas datas para a digressão nacional. A saber:

 

1 e 2 Abril  | Theatro Circo | Braga

 9 Abril | Cine-Teatro de Estarreja

 16 Abril | Auditório Municipal de Lagoa

 7 Maio | Teatro Virgínia | Torres Novas

 14 Maio | CAE Portalegre

 20 e 21 Maio | CAE Figueira da Foz

 28 e 29 Maio | Casa das Arte | Arcos de Valdevez

 3 Junho | Centro Cultural Olga Cadaval | Sintra

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6750 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.