«A Caixa de Correio de Nossa Senhora» revela novos segredos de Fátima

Fátima tem mais segredos para revelar do que os confiados aos pastorinhos. No santuário, existe um arquivo com cerca de oito milhões de mensagens enviadas a Nossa Senhora, oriundas de todo o mundo e escritas por pessoas das mais variadas classes sociais.

«Com uma escrita que se revela como uma conversa com a amiga mais íntima.» Um conjunto de documentos praticamente desconhecido que o autor e jornalista António Marujo traz para a luz do dia, numa investigação inédita que a Temas e Debates publica já a 2 de outubro.
Se cada carta tem os seus interesses e mistérios, «todas juntas revelam muito do que era o país, há poucas décadas, marcado ainda pelo
analfabetismo, pobreza e falta de proteção social.» Focando-se apenas nas cartas enviadas até 1977, António Marujo traça um retrato único de uma parte da sociedade portuguesa poucas vezes representada, onde são reveladas as suas opiniões sobre a guerra e a paz, a fé e a descrença, amores proibidos, saúde e dinheiro, justiça e política.

Como se novos segredos de Fátima se revelassem aos nossos olhos. «Na sequência do que outros têm defendido, torna-se, por isso, evidente que cada vez menos Fátima deve ser um fenómeno unívoco, mas reflete antes a complexidade cultural, social, política e religiosa, seja do país, seja do próprio catolicismo.»

Do posfácio de Joaquim Franco: «A riqueza destes documentos, que em boa hora o Santuário entendeu preservar e agora disponibilizar para estudo, permitem, por exemplo, analisar a evolução da religiosidade portuguesa vivenciada em Fátima ou com Fátima, a relação com a entidade Nossa Senhora de Fátima ou até a história das ideias sobre Fátima e a religião, em Portugal e no mundo.

Este espólio tem um elevado potencial de investigação. São testemunhos quentes e, até por isso, por vezes inquietantes. Alguns conteúdos cortam-nos a respiração. Entre as cerca de 50 mil mensagens que nos passaram pelas mãos, como não ficar inquieto com testemunhos de vida, na primeira pessoa, sem constrangimentos ou mediações?»

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.