Ana Moura abriu com chave de ouro ciclo de “Grandes Concertos no Casino Estoril”

Nesta esta quinta-feira, 21 de Julho, abriu o ciclo “Grandes concertos do Casino Estoril” com a fadista Ana Moura que se apresentou em grande forma obtendo estrondosas ovações ao longo de aproximadamente uma hora e meia de espectáculo.

Abriu espectáculo com “Moura Encantada”, com apoteótica recepção por parte do público que enchia por completo o Lounge D do Casino Estoril. Numa fase inicial do concerto viajou pelo seu mais recente disco, Moura, com “Meu amor foi para o Brasil”, ” Fado Dançado” e ” Desamparo”. “Boa noite Estoril. Tudo Bem? Já que estamos no casino eu hoje quase que jogo em casa pois eu moro em Cascais e a minha infância foi em Carcavelos” disse a fadista natural de Coruche.

 

 

Neste disco a fadista tinha alguns objectivos como revelar que o fado se pode dançar (algo que acontecia no século XIX, numa situação conhecida como ‘bater o fado’)  para além claro da sua capacidade de se reinventar (dai a borboleta simbolizando a metamorfose na capa do disco).

 

 

Ana Moura já com o publico totalmente entregue ao espectáculo viajou depois para o fado tradicional onde mostra toda a sua alma e poder de interpretação com a sua voz aveludada que modela a gosto tanto no ataque às notas musicais como no prolongamento das mesmas. Nesta fase do seu espectáculo ouvimos “Ninharia”, “Fado Maldição” e “Fado Magala” que antecederam o instrumental que mostrou a qualidade dos músicos que a acompanham: Pedro Soares na guitarra clássica, Ângelo Freire na guitarra portuguesa, André Moreira no baixo, Filipe Amorim nos teclados e Mário Costa na bateria. Curioso ver os solos de baixo e da bateria que o público soube entender, apreciar e aplaudir.

 

 

Com a fadista de regresso ao palco de vestido branco brilhante (na primeira parte do seu concerto vestia de negro) traz-nos mais dois temas de “Moura” com “Eu entrego” de Edu Mundo e “Agora é que é” de Pedro Abrunhosa.

 

 

A musica tradicional portuguesa constou no alinhamento com “Valentim” ou ” Bailinho à Portuguesa “, tendo pelo meio interpretado ” Tens os olhos de deus” da autoria de Abrunhosa. Este tema da autoria do artista nortenho é dos mais belos poemas que compõe o mais recente trabalho da fadista, quer pela intensidade das palavras quer pela interpretação dada ao tema por Ana Moura.

 

 

O single de Moura, “Dia de Folga” antecedeu o encore, tendo a fadista regressado a palco para interpretar “Loucura” e “Desfado” terminando a primeira noite do ciclo de concertos em grande festa e com o público de pé.

 

 

O ciclo de “Grandes concertos do Casino Estoril” é uma co-produção da Everything is New e da Ruela Musis, regressando já no próximo dia 28 de Julho pelas 23:00 com Tiago Bettencourt.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6756 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.