A Praça de Touros de Arruda dos Vinhos recebeu esta quinta-feira, um expectante concurso de ganadarias, o XXI aqui realizado, num espectáculo inserido na feira taurina desta localidade ribatejana. Em disputa estavam prémios apresentação e Bravura, prémio para melhor pega e também para a melhor lide.

 

O cartel foi composto por António Ribeiro Telles, Francisco Palha e Luís Rouxinol Jr. Grupo de Forcados Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo, Azambuja e Arruda dos Vinhos. Touros das ganadarias Santiago, Falé Filipe, Fernandes de Castro, Passanha Sobral, Santa Maria e Varela Crujo.

 

António Telles esteve mal no seu primeiro touro. Perante um Santiago que se adiantava e que cortava terreno, o cavaleiro da Torrinha teve meia dúzia, não exagerando, de passagens em falso, e não soube dar a melhor lide a este oponente. Dois ferros de boa nota é apenas o que de positivo há a retirar desta lide. Mal o director de corrida em atribuir música, no tempo e no modo. Na segunda lide foi ainda pior. Dividamos a lide em dois, a primeira na qual teve touro e esteve mal, com várias passagens em falso e sem elo de ligação na lide, e uma segunda fase em que o touro ganhou crença em tábuas e apenas a sesgo foi possível a Telles deixar dois ferros. Uma noite sem brilho algum para o cavaleiro da Torrinha. Nota muito negativa para o director de corrida ao autorizar volta, e pior ainda o cavaleiro ao efectuar volta quando a lide não foi meritória. Lamentável.

 

Francisco Palha esteve muito bem no seu primeiro touro. A ideia de toureio do jovem cavaleiro é de classe e emoção. Resultando, como foi o caso, é sucesso e cria aficionados e faz a festa evoluir. Bem na brega, no ritmo que deu à lide, soube entender o touro, da Ganadaria Falé Filipe, cravou bem e rematou melhor. O terceiro curto é de elevada execução técnica e de ensinamento aos menos entendidos dos touros. No seu segundo touro, de Santa Maria, que se revelou menos colaborante, soube dar a volta às dificuldades de um oponente que não investia e tinha tendência para tábuas. Destaque para o terceiro e quatro curto, numa lide na qual pisou os terrenos do touro e daí ter sofrido um forte toque na montada. Mas uma boa lide, na avaliação geral.

 

Luís Rouxinol Jr não teve sorte no seu primeiro touro. Um Fernandes de Castro com visíveis dificuldades físicas, as quais foram ignoradas pelo director e veterinário que não mandaram recolher o astado, não permitindo por isso que a lide tivesse o brilho que deveria ter, caso o duelo na arena tivesse sido feito com ambos em boas condições. Assim, ficam bons ferros mas que não merecem destaque. No segundo do seu lote, de Varela Crujo, esteve irregular sofrendo dois toques fortes na montada, ferros cravados já com o touro muito traseiro, o que acabou por retirar brilho a uma boa brega e ao labor em tentar sacar o que o oponente lhe podia proporcionar.

 

Na secção das ramagens, entenda-se forcados, pegaram Márcio Chapa (primeira tentativa) e Luís Carrilho (segunda tentativa) pelos Amadores da Tertúlia Tauromáquica do Montijo; Fábio Simões (terceira tentativa e uma pega de força e espectacular) e Filipe Ramalho (segunda tentativa) pelos Amadores da Azambuja; Rodolfo Costa (primeira tentativa) e João Costa (segunda tentativa) pelos Amadores da Arruda dos Vinhos.

 

Prémios:

Bravura: Ganadaria Santiago

Apresentação: Não atribuido

Melhor lide: Francisco Palha

Melhor pega: Rodolfo Costa

 

O júri foi composto por Jesus Lourenço, Vasco Lucas e António Lucio.

A corrida foi dirigida por Lourenço Luzio assessorado por José Manuel Lourenço.

 

 

Fotografia: Toureio.pt

Galeria fotográfica completa, AQUI

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.