Artes à Vila: Júlio Pereira levou a enchente de público nas Capelas Imperfeitas

 

 

Já era noite e as fachadas das Capelas Imperfeitas já estavam sob iluminação artificial quando Júlio Pereira subiu ao palco, no Festival Artes à Vila, na Batalha, para um espectáculo de grande qualidade e com o público a acorrer em grande número.

Um dinamizador, valorizador e mestre no cavaquinho e do seu potencial, Júlio Pereira apresentou-se na Batalha acompanhado por mais três músicos e durante mais de uma hora deu um verdadeiro recital de classe e bom gosto.

Passou por vários estilos musicais portugueses e não se furtou a ir a outras latitudes e continentes, apostou numa boa comunicação com o público, explicando o alinhamento, incentivando a participação da plateia e tudo isto por entre momentos em que demonstrava todo o virtuosismo reconhecido ao leme do seu cavaquinho.

Um espectáculo bonito e potenciado por um desenho de luz que valorizou o património edificado onde actuou Júlio Pereira, que venceu no ano passado o Prémio Pedro Osório pela Sociedade Portuguesa de Autores e que conta com 22 discos, enquanto autor, editados e participações em mais de 80.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.