primage_16847

 

Em Agosto, Beja ganha mais vida com histórias de encantar. As “Palavras Andarilhas” vão para a décima quarta edição, no Jardim Público de Beja entre os dias 24 e 28 de Agosto.

 

 

Este festival literário volta a afirmar-se como aquele lugar onde outro mundo é possível, não fossem elas filhas da Utopia. 

 

 

Numa edição alargada, o programa deste ano tem como temas de fundo o maravilhoso na tradição oral, a mediação da leitura na infância e na juventude, sublinhando alguns géneros menos discutidos e que parecem constituir-se como boas ferramentas para os mediadores: a poesia e a microficção. As conferências e as oficinas possibilitarão algumas horas de trabalho e partilha com escritores e especialistas de muitas artes da palavra: figuras  de referência como Maria Teresa Andruetto, Evélio Cabrejo Parra, Afonso Cruz, João Pedro Mésseder, Rodorin, António Fontinha, Corália Rodriguez. Estes são alguns dos nomes que se destacam de um naipe de mais de 50 convidados. 

 

 

A instalação de Mafalda Milhões dá o mote para a edição deste ano:” Uma Casa Onde Cabe Toda a Gente!”, porque as Bibliotecas, os Teatros, as Escolas e os Jardins são casas onde cabe toda a gente! 

 

 

A cidade de Beja recebe a primeira edição do “Festival de Contos do Mundo-Quando as palavras chegam de toda a parte!”. Esta é a nova aposta do Município que se pretende anual. Esta iniciativa é desenvolvida em parceria com a “Ouvir e Contar – Associação de Contadores de Histórias”, e que oferece uma programação aberta a todos os que dela quiserem desfrutar. A palavra na sua expressão multicultural estará presente em dezenas de sessões de contos, exposições e espectáculos. 

 

 

A primeira edição do Festival terá a sua sede no Jardim Público e no Centro Histórico, estendendo-se pelas freguesias rurais com os “Contos d’Ir Ò Fresco” e desdobrando-se ainda em praças, recantos, lares e centros de dia. O “Festival de Contos do Mundo” traz, pela boca dos contadores do mundo, palavras que nos falam dos outros lugares e outros sonhos, tantos quantos os narradores que contam nesta edição.  

 

 

Da programação destacam-se os fins de tarde no Jardim Público, dirigidos a públicos de todas as idades. As noites frescas e cúmplices serão passadas em torno de narradores provenientes de Portugal, Espanha, Argentina, Cuba, Irlanda e Japão. As experiências artísticas oferecidas cruzam muitas linguagens e olhares como é o caso de “Pasta e Basta – Um mambo italiano”, espetáculo com textos de Afonso Cruz que estreia em Beja, no domingo, uma versão para os mais novos, numa sessão especial para crianças a partir dos 3 anos. O Festival termina com um concerto a duas vozes: Celina da Piedade e Jorge Serafim, um concerto que se anuncia único e cúmplice. 

 

 

Desde 1999 que as “Palavras Andarilhas” assumem-se como um encontro de reflexão em torno da promoção da leitura e da narração oral e reúnem em Beja educadores, mediadores de leitura, escritores e ilustradores, narradores orais e artistas, entusiastas e curiosos para quem as artes da palavra, nas sua versão escrita e oral, são razão para crescer e celebrar. 

 

 

Promovidas pelo Município de Beja, as “Palavras Andarilhas” dirigem-se a mediadores de leitura nacionais e estrangeiros. Ganharam a dimensão de uma celebração em torno da palavra contada, lida, com um carácter generalista, dirigindo-se cada vez mais a uma maior diversidade de públicos que buscam em Beja uma experiência cultural centrada na palavra, na memória e no património. 

 

 

As “Palavras Andarilhas” decorrem de 24 a 28 de Agosto no Jardim Público, Teatro Pax Julia e outros espaços da cidade. 

 

 

Um belíssimo remate para o final das suas férias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.