Campo Pequeno: António Ribeiro Telles esteve muito bem, numa noite que foi ‘uma seca’

 

A Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa, recebeu esta quinta-feira uma corrida de touros, na qual o grande destaque era a apresentação de Guillermo Hermoso de Mendoza na capital do toureio a cavalo, confirmando alternativa.

O cartel foi composto, ainda, por António Ribeiro Telles e Pablo Hermoso de Mendoza. Lidaram-se touros da ganadaria Passanha e pegaram os Forcados Amadores de Alcochete e Aposento da Moita.

Lides:

Guillermo confirmou alternativa em Lisboa e por isso lidou o primeiro touro da noite. Uma lide positiva mas sem deslumbre frente a um oponente que pouca emoção trouxe à arena, deixando-se lidar. Regular nos compridos, foi nos curtos que melhor esteve, com destaque para o terceiro.

Frente ao último touro da noite esteve em melhor plano. Guillermo tem uma quadra de cavalos, que partilha com o seu pai, de enorme valia e isso potencia-lhe as lides. Esteve bem na brega e levando o touro para os terrenos mais convenientes e posteriormente desenhou bem as sortes, rematando-as de forma ajustada. Teve o touro menos mau da corrida.

António Ribeiro Telles foi o grande triunfador desta noite, com a lide ao quarto touro da corrida, o segundo do seu lote. Fez tudo bem, lidou (na verdadeira acepção da palavra), foi crescendo durante a actuação, as sortes foram de frente e com as reuniões a resultarem em pleno. Telles é ART (iniciais do seu nome) em inglês e o mais fiel representante actual da arte marialva. Um pormenor, de classe e elevação, foi a banda ter alterado o andamento do pasodoble ‘Forcados do Sul’ aquando do brinde de um ferro, por parte de Telles a Guillermo Hermoso de Mendoza.

Frente ao segundo touro da noite esteve em plano positivo mas com uma lide não tão redonda. Tem dois ferros de excelente nota (pelo desenho e reunião) que merecem destaque.

Pablo Hermoso de Mendoza esteve desinspirado. A segunda lide, ao quinto touro da noite, é uma montanha russa entre o bom e o mau. Falhou um ferro, passagens em falso, toque na montada e destacou-se, positivamente, apenas pela brega e remate das sortes.

No terceiro touro da noite, o primeiro do seu lote, destacou-se na brega, com a classe habitual e com um excelente ferro curto, com o qual culminou a sua actuação. Pablo tem o público do Campo Pequeno sempre consigo, mesmo quando o triunfo não surge e isso deve-se a 30 anos de alternativa ao mais alto nível.

Pegas:

Alcochete: António José Cardoso (1ª tentativa); Diogo Timóteo (2ª tentativa); Manel Pinto (2ª tentativa).

Aposento Moita: Leonardo Mathias (1ª tentativa); João Gomes (2ª tentativa); Martim Lopes (1ª tentativa).

Touros:

Os touros da ganadaria Passanha foram maus em termos de bravura e emoção. Bem apresentados mas apenas deixando-se lidar. Não são estes touros que levam público às praças.

Direcção de corrida: Corrida dirigida por Lara Gregório de Oliveira, assessorada por Jorge Moreira da Silva.

Lotação: Três quartos preenchidos.

 

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: João de Sousa

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6262 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.