Carminho, Fandango, Isaura, Da Chick, Dear Telephone, Indignu e Cláudia Duarte são as novas confirmações do Bons Sons

Mais nomes se juntam ao extenso cartaz do BONS SONS 2016: a voz de Carminho, o Fandango de Luís Varatojo e Gabriel Gomes, Isaura como revelação, Da Chick no funk, as viagens etéreas dos Dear Telephone, o pós-rock épico dos Indignu [lat.] e a discoteca indie de Cláudia Duarte.

 

Além dos habitantes de Cem Soldos, a aldeia convida voluntários a receber os visitantes, para uma experiência de imersão na equipa dedicada aos vários serviços do BONS SONS. Uma equipa já reconhecida pelo projecto humano e de sustentabilidade, com um contributo inegável para o desenvolvimento da região e para a cultura nacional. Esta oportunidade constitui a possibilidade de se tornarem verdadeiros embaixadores das boas práticas associativas. As inscrições para os voluntários BONS SONS 2016 estão abertas até 31 de Maio.

 

 

Abriram também as inscrições para os artesãos nacionais, coleccionadores, alfarrabistas, entre outros, interessados em participar na Feira de Marroquinarias e Artesanato que dá vida às ruas de Cem Soldos, complementando a vivência da música portuguesa durante os dias de BONS SONS.

 

 

Filha de fadista sabe cantar. Carminho é dona de uma voz inconfundível, que tem emprestado ao fado a novas sonoridades,, colaborando com artistas como Pablo Alborán, Milton Nascimento, Chico Buarque e Marisa Monte

 

 

O Fandango de Luís Varatojo (Peste&Sida, A Naifa) e Gabriel Gomes (Sétima Legião, Madredeus) explora as sonoridades do acordeão e da guitarra portuguesa numa composição onde a electrónica comanda a acção e apela, obviamente, à dança.

 

 

Natural de Gouveia, Isaura tem arrebatado a rádio nacional com os temas “Useless” e “Change it” do seu EP de estreia, “Serendipity”, que lhe valeu nomeação como “Revelação” nos Portugal Festival Awards 2015.

 

 

Com paixão e frontalidade, Da Chick quer, pode e manda. Ela traz o funk da velha escola, o groove eterno da soul e salta ao balanço rítmico do disco sound, com um cocktail na mão.

 

 

Os Dear Telephone expressam uma carga dramática influenciada pelo cinema em composições duras e frugais. Depois do LP “Taxi Ballad” em 2013, as novas composições vão ser apresentadas nos concertos em 2016.

 

 

De Barcelos vêm os Indignu [lat.], sexteto pós-rock que apresenta um novo trabalho. “Ophelia” explora a bipolaridade humana, lembrando que as mais desconcertantes viagens ocorrem dentro de nós.

 

 

Cláudia Duarte como DJ mantém-se fiel à sua linha de música trespassada pelo indie, new wave, synthpop, electro e neodisco que faz dela residente no Lux, Musicbox, Casa Independente e Incógnito.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.