Celebre o Fado e a Portugalidade no Santa Casa Alfama

 

 

O fado, a poesia e o trinar das guitarras vão tomar conta das ruas, vielas e edifícios de Alfama em mais uma edição do Santa Casa Alfama, que vai acontecer nos dias 28 e 29 de Setembro. Esta edição, que é a sexta deste festival (que já teve, em edições anteriores, nomes como Gisela João e Ana Moura) e que ganha um novo naming devido à parceria realizada com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

 

 

A Santa Casa tem estado connosco ao longo das seis edições e agora quis “tomar conta” e abraçou com muito entusiasmo este festival e com isso conseguimos mais um palco, este aqui que estamos. Permite-nos ter uma promoção mais forte e conseguir nos 12 palcos misturar artistas, fadistas consagrados com novos. Para quem gosta de fado e de Lisboa tem aqui um fim-de-semana de luxo“, conta o responsável pelo festival, Luís Montez, sobre o novo naming sponsor deste evento, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

 

 

Tem vindo a crescer porque todas as pessoas que vêem adoram o festival. Andarem nas vielas de Alfama a petiscarem aqui e ali e aproveitarem para ouvirem um bom fado, aqui no coração de Alfama, onde ele nasceu. É um fim-de-semana para quem goste de Lisboa e de fado, imbatível”, diz Luís Montez sobre este festival, que tem vindo a crescer de edição para edição e que tem vindo a receber cada vez mais cidadãos estrangeiros.

 

Para além de Luís Montez, da “Música no Coração”, também esteve presente o Procurador da Santa Casa da Misericórdia (instituição que tem 520 anos), Edmundo Martinho. A Santa Casa estendeu o apoio dado ao festival e é a partir deste ano o naming sponsor do Santa Casa Alfama.

 

 

Entendemos que passadas estas edições, a avaliação que fazemos é muito positiva para a cidade, contribuí muito para aumentar esta intensidade cultural da cidade e, em particular no fado, e para nós é um motivo de grande satisfação e entendemos que era o momento de acentuar esta nossa colaboração com a organização“, conta o Provador da Santa Casa da Misericórdia, Edmundo Martinho.

 

 

Para além de ser o naming sponsor, o que reforça o apoio que esta entidade dá à música nacional, contribuem no apoio a pessoas a pessoas com mobilidade reduzida. Este apoio será dado, nos dias de concreto, com a disponibilização de estruturas de acessibilidades, para que todos, independentemente da idade ou situação física, possam desfrutar deste festival.

 

 

Estamos responsáveis, neste tipo de festivais, de assegurar condições, com bancadas especiais e acessibilidades próprias, para que não haja barreiras físicas para as pessoas que queiram assistir a este espectáculo“, conta o Provedor da Santa Casa.

 

 

Na apresentação deste festival, que aconteceu na tarde de quarta-feira, estiveram presentes alguns dos artistas que vão actuar no fim-de-semana do Santa Casa Alfama, como é o caso de António Pinto Bastos ou Alexandra, e os responsáveis pela organização deste festival anual que durante 2 dias vai receber 40 artistas (consagrados e novas revelações) que vão actuar em 12 palcos diferentes (Palco Santa Casa, Palco Museu do Fado – Restaurante, Palco Museu do Fado – Largo do Chafariz de Dentro, Palco Ermelinda Freitas, Palco Amália, Grupo Sportivo Adicense, Igreja de São Miguel, Sociedade Boa União, CC Dr. Magalhães Lima, Igreja de Santo Estêvão e o Fado à Janela no Largo de São Miguel).

 

 

Um dos patrocinadores presentes nesta apresentação foi a Abreu Advogados, que pela segunda edição vai receber o Palco Amália. “Nós temos um edifício de referência aqui na zona. Temos  um auditório muito bonito que tem quase 100 lugares para se poderem sentar pessoas e uma escultura muito bonita do Bordalo e que nos leva a receber pessoas para conferências e coisas mais sérias mas também para um evento cultural e popular como este”, conta Francisco Patrocínio, da Abreu Advogados, sobre acolherem o Palco Amália. “É uma honra receber um palco com este nome de uma figura tão importante“, conclui.

 

Para além dos palcos habituais, a edição deste ano traz um novo palco, bem no meio do terminal de cruzeiros de Lisboa e que, para além de apresentar espectáculos bem especiais, os espectadores desfrutem do pôr-do-sol (os espectáculos vão ser das 18:00 às 20:00) e da magnífica vista para o bairro de Alfama. Junto do terminal de cruzeiros haverá estacionamento para 350 carros, o que vai colmatar as habituais carências com os lugares para estacionar.

 

 

A cidade de Lisboa, principalmente o bairro de Alfama, que acolhe o festival e oferece os cenários ideias para as diferentes actuações, desempenham um papel de parceiro desde o primeiro dia do festival.

 

 

Este é um dos festivais mais emblemáticos que a cidade de Lisboa tem e conta com o apoio da Câmara com uma grande alegria todos os anos e por várias razões. Desde já, este festival é único na vontade que tem em mostrar novos talentos do fado a par com os consagrados e tem sido um festival que ao longo dos anos tem ajudado o fado a crescer e na afirmação do Fado nacional e internacionalmente. Hoje o fado tem uma força, enquanto expressão da nossa cultura, muito forte, muito mais forte que há umas décadas atrás. Fruto de muita gente talentosa, de muita gente nova, de muita gente que tem sido capaz de pegar num fado mais tradicional, os nossos artistas mais consagrados, mas também de o renovar e de o projectar lá fora. E dentro de todos os que tem contribuído para isto, o Luís Montez e toda a equipa do Santa Casa Alfama tem tido um papel muito importante, porque este é um festival diferente”, diz o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, que fez questão de estar presente nesta apresentação. “Este festival já está muito ligado à cidade. Já faz parte do nosso calendário. Tenho a certeza que vai ser um êxito esta edição“, conclui o autarca.

 

 

As primeiras confirmações para edição deste ano do Santa Casa Alfama são: Palco Santa Casa (junto do terminal de cruzeiros de Lisboa) – Alexandra, António Pinto Basto e Maura, Dulce Pontes, Paulo de Carvalho, Raquel Tavares e a jovem revelação Maria Emília (que actuou durante a apresentação da programação do Santa Casa Alfama); Palco Museu do Fado – Restaurante – Carlos Leitão, Cristina Maria, João Chora e Teresa Tapadas e no Palco Museu do Fado – Largo do Chafariz de Dentro – Ângelo Freire (que recentemente actuou ao lado de Ana Moura na final da Eurovisão), a Família Parreira, Marta Pereira da Costa (a única mulher guitarrista) e Pedro Jóia. Os restantes nomes serão confirmados até ao fim do mês de Junho.

 

 

O responsável pela programação do Santa Casa Alfama é José Gonçalez, que levanta um pouco mais do véu sobre a edição deste ano.

 

 

Vamos ter dois artistas claramente da pop que vêem ao Santa Casa Alfama fazer concertos de fado com gente do fado. Temos também uma coisa gira, a partir deste ano, desafiamos uma casa de fados, vamos desafiar uma casa de fados por ano a vir com o seu cabeça de cartaz e com o seu elenco fazer a noite de fados dessa casa no festival. Vamos também, pelo primeiro ano, lançar um desafio na Rádio Amália e em outros órgãos em que vamos desafiar o país inteiro a participar e os dois vencedores, o masculino e o feminino terão como prémio a participação no Santa Casa Alfama como parte do cartaz. É importante a cada ano reinventarmo-nos, criar motivos de interesse para que as pessoas venham“, explica José Gonçalez sobre algumas das novidades que poderão ser vistas no Santa Casa Alfama.

 

Fado tradicional, um fado mais “vanguardista” e artistas que, de uma forma ou outra estão ligados à música património imaterial da humanidade, vão actuar neste festival que vai receber nomes consagrados do fado e novas “esperanças”, como é o caso de Maura que vai actuar ao lado de António Pinto Bastos. Sobre o que o público poderá esperar para este concerto, o fadista alentejano (que está a preparar um novo disco e que vai, no próximo fim-de-semana, vai actuar em Olhão e Faro), diz: “Espero cantar fado. Estou a preparar um disco novo e quero envolver 3 ou 4 originais e para além disso vou cantar com a Maura, que é uma menina que conheço-a desde que ela nasceu para o fado, tinha 16 anos. Espero que seja um espectáculo que agrade“. Esta dupla vai subir a palco no dia 29 de Setembro.

 

Uma das actuações que vai primar pela diferença será a de Raquel Tavares que vai “jogar em casa” (a fadista é natural de Alfama) e vai apresentar um espectáculo diferente, intitulado de “Fados Pedidos”. “Ela vai através da rádio pedir ao publico para escolher os fados tradicionais que quer ouvir serem cantados pela Raquel Tavares“, conta Luís Montez.

 

 

Para além de muita e boa música, neste festival poderá desfrutar dos melhores pratos portugueses. Durante este fim-de-semana, vários restaurantes de Alfama vão oferecer um menu especial para todos aqueles que se desloquem ao bairro para assistir a este festival.

 

 

O Santa Casa Alfama vai acontecer nos dias 28 e 29 de Setembro. Os bilhetes já estão à venda e um custo de 25€ (passe 2 dias) e 15€ (bilhete diário) até ao dia 31 de Agosto. Estes preços vão subir para os 30€ (passe 2 dias) e os 20€ (bilhete diário) até ao dia 27 de Setembro. Estes deverão ser trocados na bilheteira do Museu do Fado pela pulseira que lhe dará a oportunidade de desfrutar de todos os palcos, consoante a capacidade dos mesmos.

 

 

Vá até Alfama e participe na maior celebração do Fado, património imaterial da humanidade.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 17/05/2018


About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

_