Chapitô: Educação e Arte de braço dado!

O Chapitô é onde o circo é rei e a educação e cultura andam de “braço dado”. 

O Chapitô é um dos mais prestigiantes projectos artísticos e culturais do país com grande projecção nacional e internacional, onde se insere a Escola Profissional de Artes e Ofícios do Espectáculo(EPAOE). Esta é a única escola em Portugal com especialização em artes circenses, que oferece uma resposta abrangente ao universo das artes e ofícios do espectáculo, desde a conceção e produção de espectáculos e animações, quer seja em palco ou nos bastidores. A EPAOE conta já com 25 anos de experiência em pedagogia e formação de jovens e apresenta propostas e dinâmicas alinhadas com o mercado de trabalho. Os alunos são integrados no meio profissional artístico ainda durante o seu percurso escolar através da participação em eventos de empresas, feiras internacionais, animações, etc. 

 

 

Durante os três anos de formação, os alunos trabalham em função de um projeto sociocultural, que no final do ano é apresentado ao público (1º ano– Mostra Técnica; 2º ano – Exercício/Espectáculo e 3º ano – Prova de Aptidão Profissional). As PAPs realizaram-se durante o mês de Julho. O espectáculo foi defendido perante um júri constituído por professores e pessoas do mundo das artes, e não só.

 

 

Este ano, as provas tiveram lugar nos dias 7,20,13,16 e 19 de Julho, na tenda do Chapitô e contaram com a presença de figuras conhecidas na área da comunicação como: Henrique Feist, Susana Cacela e Rita Spider. Do governo estiveram presentes o Dr. Francisco Neves da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares e o Dr. João Costa, Secretário de Estado da Educação.

 

 

Para o Secretário de Estado da Educação, “Uma educação que não valoriza as artes não valoriza a sua função social e que contribui para uma sociedade centrada no imediatismo e na prevalência do utilitarismo como valor, em detrimento do humanismo“.

 

 

Os espectáculos das PAPs são espectáculos inteiramente desenvolvidos pelos alunos no seu ano final. Figurinos, cenários, dramaturgia e técnicas artísticas, etc. O limite é a imaginação de cada grupo que implementa os conhecimentos adquiridos durante os três anos de ensino.

 

 

Os alunos de todos os cursos trabalham em conjunto em função deste projeto comum, orientados por um corpo docente, na sua maioria ligado ao mundo das artes performativas, circenses e artes plásticas. No final, este conjunto de espectáculos foram apresentados ao público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.