Cineteatro D. João V recebe Rita Santos, Raizes na Música, Maria Armanda e Fred Martins em Novembro

Cineteatro D. Joao V

 

Durante o mês de Novembro, o Cineteatro Municipal D. João V, na Damaia, apresenta uma programação repleta de espectáculos de grande qualidade.

 

 

“Raízes na Música” cria encontros únicos com música, canções, lengalengas, poesia, natureza e objectos, instrumentos e movimento, para crianças e famílias e pessoas de todas as idades. Este espectáculo infantil chega ao palco do Cineteatro no dia 12 de Novembro às 10:30.

 

 

As sessões “Raízes na Música” são um convite para entrar num espaço/tempo especial e sensorial: chegar e ser recebido por melodias acolhedoras; ler um breve poema, recitá-lo em coro, em segredo, entoado ou pintado; escutar músicas – do ouvido, do mundo, do aqui e agora, e dar liberdade ao corpo/mente para se manifestar com danças, movimento, jogos e brincadeiras; cantar com e sem palavras, ouvir e ser ouvido, tocar em nós e nos instrumentos, mimar e dançar, descobrir a voz, os ritmos, a rima e o silêncio, sentir e agir, olhar e encontrar, partilhar… e no fim… dar tempo ao tempo e degustar o que mais fizer sentido nesse espaço/tempo preciso e precioso. Descascar uma castanha pelo outono? …chover flocos de neve pelo inverno?… decorar um livro de canções portuguesas no dia do livro português?

 

 

O bilhete custa 5 euros.

 

 

De raízes ribatejanas, Rita Santos cedo se iniciou no universo da música cultivando o seu gosto pela arte do canto. Jovem de belíssima presença e voz carismática, de entrega interpretativa cativante, Rita Santos tem conquistado e encantado o mundo do Fado. Desde 2010 que Rita Santos tem participado em inúmeros espectáculos de Fado, programas de televisão, rádio e é voz assídua nas mais prestigiadas Casas de Fado de Lisboa, tendo já conquistado um público fiel. Música Unida apresenta “‘Retratos d’Alma”, o primeiro trabalho discográfico da fadista. O espectáculo de Fado acontece no dia 13 de Novembro às 16:00 e o bilhete custa oito euros.

 

 

No dia 20 de Novembro às 17:00 sobe ao palco Maria Armanda. A carreira de um dos maiores nomes do fado começou em 1967 quando participou na Grande Noite do Fado da Casa da Imprensa, gravando no ano seguinte, o seu primeiro trabalho discográfico, o EP O Meu Soldadinho.

 

 

O primeiro álbum surgiu em 1972, Maria Armanda no qual gravou fados inéditos de vários compositores. Em 1979 estreou-se no teatro, no palco do Teatro Laura Alves, em Lisboa, actuando posteriormente no Parque Mayer , no Teatro Maria Vitória, como atracção na revista “Rei Capitão Soldado Ladrão”. Nos anos seguintes marcaria presença em mais duas revistas, “Mais Vale Sá Que Mal Acompanhada” (de onde foi retirado o tema “Lisboa Das Barracas”) e “Ó Patego olha o balão”, contracenando com Ivone Silva e Camilo de Oliveira.

 

 

Em 2001 voltou ao Teatro de Revista com a peça “Tem a Palavra a Revista”.

 

 

Para além de “O Meu Soldadinho”, “Só Porque Desenhaste A Rosa Branca” e “Mulher De Qualquer Povo da Terra”, um dos seus maiores sucessos de sempre foi “Mãe Solteira”, e tem no seu repertório muitas canções com letras de José Carlos Ary dos Santos e músicas Nuno Nazareth Fernandes. Maria Armanda marcou presença em espectáculos da Europália realizados na Bélgica, ao lado de Carlos do Carmo

 

 

A partir do ano 2000, Maria Armanda fez parte do grupo “Entre Vozes” com outras fadistas (Alice Pires, Lenita Gentil e Teresa Tapadas) que acabaria por editar 3 álbuns. Em 2004, Maria Armanda integrou novo grupo de 4 fadistas, denominado de “Quatro Cantos”, novamente com Teresa Tapadas mas agora com as vozes masculinas de António Pinto Basto e José da Câmara.

 

 

Em 2006 editou o DVD ” Do presente ao passado no Fado”. Actua regularmente em várias Casas de Fado, como: o “Senhor Vinho”, no “Clube de Fado João da Praça” ou no Restaurante “Guitarras de Lisboa”, em Alfama.

 

 

O concerto de música ligeira/fado tem bilhetes a 10 euros.

 

 

Destacado entre os artistas da sua geração, o cantor e compositor Fred Martins oferece um repertório autoral muito variado e muito relacionado com a tradição musical do artesanato da canção no Brasil. A sua música dialoga com o samba e a bossa nova, mesclando também elementos de outros estilos e incursões pela world music. O seu primeiro disco solo a ser gravado na Europa, “Para além do muro do meu quintal” (inspirado em poemas de Fernando Pessoa), está à venda desde 22 Abril em Portugal.

 

 

Fred Martins desenvolveu uma relação especialmente profunda com a música brasileira, pois durante anos transcreveu partituras de compositores como: Chico Buarque, Noel Rosa, Tom Jobim, Caetano Veloso e Gilberto Gil.

 

 

As suas composições conquistaram nomes consagrados da MPB e foram gravadas em disco por outros artistas como: Renato Braz (“Por um Fio”), Ney Matogrosso (“Novamente” e “Tempo Afora”), Maria Rita (“Sem Aviso” e “Perfeitamente”) e Zélia Duncan (“Hóspede do Tempo” e “Flores”).

 

 

Fred participa ainda (como compositor e intérprete) no mais recente espectáculo de María Pagés,”Utopia”. Este espectáculo é inspirado na obra de Óscar Niemeyer.

 

 

O concerto de Fred Martins acontece no dia 26 de Novembro, às 21:30, e o bilhete custa 10 euros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.