Criaram o movimento Sim Aos Toiros e defendem que a tauromaquia “cria bons seres humanos”

Duarte Justino e Gonçalo Jesus. À partida estes dois nomes nada dirão ao público não aficionado, contudo em 2015 criaram o movimento Sim Aos Toiros.

Em entrevista ao Infocul, Duarte e Gonçalo falaram sobre este movimento, que tem ganho destaque e mediatismo nas redes sociais, quais os objectivos, e o que a tauromaquia representa para eles.

Como curiosidade revelar que no Instagram a #SimAosToiros foi usada em mais de 14600 publicações, a página de Facebook conta com mais de 29 mil seguidores e no Instagram com mais de 2400 seguidores.

O que é o Movimento ‘Sim aos Toiros’?

É um Movimento jovem que tem como por base a defesa, promoção e manutenção da Tauromaquia em Portugal e nos países que também possuam raízes taurinas.

Este movimento foi criado por dois jovens: Gonçalo Jesus e Duarte Justino. Questiono se este movimento se destina aos mais jovens ou ao público em geral?

Este movimento, apesar de ter sido criado por dois jovens taurinos, é abrangente a todas as faixas etárias da sociedade. Sendo que a nossa forma de agir pretende que a tauromaquia chegue a todas as gerações.

Em vários posts, nas redes sociais, pedem respeito a quem não gosta da tauromaquia. Pergunto se a tauromaquia não erra ao fechar-se sobre si própria ao invés de dar a conhecer a realidade do campo e da festa a quem não a conhece?

Tendo em conta que as raízes Tauromáquicas se vem já a prolongar ao longo da História Portuguesa e não só, atualmente já há diversas formas de conhecer o “interior” da festa de toiros. Damos como exemplo programas que Toureiros, Grupos de Forcados e Ganaderos criam para cativar o público em geral a irem ao campo e conhecerem os bastidores da Tauromaquia e suas nuances.

Quantos anos tem este movimento e quais as iniciativas que já organizou?

O Movimento nasce numa conversa entre ambos, tendo sido criado em Setembro de 2015, implementado a nossa faixa em diversas Corridas de Toiros. O Sim Aos Toiros organizou um convívio no Volapié, onde diversas gerações marcaram presença, convivendo e partilhando da cultura tauromáquica!

De que forma pretendem passar a vossa mensagem às pessoas?

De uma forma simples, concisa e objectiva.

Um dos ataques que é feito à tauromaquia é o facto de as crianças poderem ficar traumatizadas com a ‘violência’ da festa. Sendo vocês dois jovens, como reagem a isto?

Sendo nós dois jovens, acreditamos que a festa pelo contrário do que dizem “traumatiza as crianças “ , transmite cultura, valores e podemos mesmo dizer que cria bons seres humanos! A Tauromaquia é um meio de bons valores e de boas pessoas. Veja-se quando são realizados os Festivais Taurinos de Solidariedade para com associações de crianças desfavorecidas. Assim se vê a categoria dos agentes da festa! Pessoas de bem! As crianças são felizes, bem educadas e muitas vezes encontram o que faltava na sua vida.

O defeso está a chegar e pergunto se têm iniciativas previstas para esta altura?

Já temos algumas ideias em perspectiva, mas é necessário sentar e deliberar bem sobre os assuntos para que seja algo em grande.

Para que as pessoas percebam, a tauromaquia não é apenas o que acontece numa praça de touros. Quando surgiu esta vossa paixão?

A Tauromaquia não é só na praça! Temos a Tauromaquia Popular. As largadas de Toiros, Garraiadas, Capeias Arraianas, o Forcão! Tudo isto são formas da Tauromaquia, que não são tuteladas pela IGAC, mas que atraem milhões de pessoas ! Depois claro temos os tentaderos no campo, as picarias, etc ! Tudo isto é Tauromaquia nos seus diversos expoentes!

A nossa paixão nasce de cedo! Desde sempre fomos aos toiros com os nossos avós, pais e por isso mesmo começámos a fomentar dentro de nós o tal bichinho! Ingressámos mais tarde na Academia de Toureio do Campo Pequeno onde o Maestro José Luís Gonçalves e o Mestre Américo Manadas conseguiram transmitir a paixão deles para nós ! Hoje em dia orgulhamos-nos por ser Taurinos. Com muito para aprender claro!

Sentem que o ataque é maioritariamente feito por pessoas da cidade?

O ataque tende a ser feito por pessoas do meio citadino que desconhecem o verdadeiro mundo rural e o que lá se faz.

Mas essas pessoas supostamente defendem os animais e até a natureza, contudo não são conhecedores da vida no campo. Não há aqui uma contradição entre o que defendem e o conhecimento que têm?

As pessoas por norma que defendem a realidade mais próxima delas, desconhecem as outras realidades, por isso mesmo apesar de dizerem que defendem os animais e até a natureza, não conhecem o mundo do toiro, do cavalo e o da tauromaquia !

Concordam, ou não, que há também muita coisa a melhorar na festa brava?

Com o tempo a Festa tem evoluído para melhor é certo, tanto para bem do Toiro, como para o público que vê o espetáculo. É certo também que há pontos a limar como a união que deve de ser mais e melhor entre as pessoas do mundo do toiro.

Na vossa opinião o que devem os agentes da festa melhorar?

Achamos por melhor não nos pronunciar sobre este assunto! Sabemos que os Agentes da Festa tudo fazem para levar a cabo um bom espetáculo ! Há coisas a limar mas isso melhor que nós, eles saberão!

Não acham que a comunicação é mal feita? Ou seja, falta alcançar o público que não vai às corridas…

Com o evoluir dos tempos, a Tauromaquia infelizmente é um assunto que nos dias de hoje só se fala na comunicação social em geral, sobre acontecimentos menos bons, raramente promovendo ou defendendo! Os meios de comunicação taurinos fazem um trabalho imprescindível ! Defendem, promovem e publicitam de uma maneira extraordinária! O que falta é a sensibilização nas ruas para com o público em geral ! Faz falta outdoors nas cidades. Faz falta o som! Em diversas línguas se falarmos de Lisboa! Hoje em dia não é só colar cartazes nas paredes…

Estão a pensar realizar tertúlias onde seja possível partilha de conhecimento entre os mais novos e os mais antigos?

É uma ideia que já tinha sido ponderada, está ainda em cima da mesa ! É um caso que temos cada vez mais pensado. Criar um local, isto é, uma tertúlia onde possamos conversar, debater e criar Aficion junto dos mais novos. Falta encontrarmos o local apropriado para tal. Depois será juntar forças e meios para a concretização.

Enquanto jovens, quais as vossas expectativas para esta legislatura, em que por exemplo o PAN aumentou a representatividade na assembleia?

Achamos seriamente que apesar desta situação que não nos agrada é certo; o bom senso irá sempre prevalecer ! Não se pode mexer em pontos que estão blindados pela pasta da cultura ! Deve de prevalecer a liberdade e a identidade de um país ! Sabemos que a PróToiro está sempre em cima do acontecimento e por isso mesmo sabemos que a Festa de Toiros está em boas mãos.. tempos difíceis por aí vem, mas a união entre todos será mais forte ! De Sempre E Para Sempre #SimAosToiros

Porta dos Sustos / Mónica Mendes

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6392 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.