O Teatro Nacional D. Maria II acolhe, esta semana, na Sala Garrett, dois espectáculos de Mohamed El Khatib: C’est la vie e Moi, Corinne Dadat.

 

 

C’est la vie, em cena a 28 e 29 de Novembro, apresenta-se como um pequeno guia prático para uso dos vivos. Este espectáculo caminha no deserto daqueles que perderam um filho, os “órfãos ao contrário”. À procura de uma palavra, de uma esperança, dois actores testemunham desta dor indizível.

Moi, Corinne Dadat, em cena a 30 de Novembro e 1 de Dezembro, nasceu do encontro entre El Khatib e Corinne Dadat, empregada doméstica. Este poema cénico abraça a ficção e o documentário, com instantâneos da vida a serem revelados numa história íntima da classe popular.

Este é o regresso do dramaturgo francês ao D. Maria II, após aqui ter apresentado, em 2017, Acabar em beleza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.