Toureio.pt

 

 

 

A Praça de Touros de Salvaterra de Magos recebeu esta sexta-feira, 26 de Julho, uma recriação da Tourada Real, na qual marcou presença Dom Duarte Pio, chefe da casa de Bragança.

Em praça os cavaleiros Ana Batista e Francisco Palha e o rejoeneador luso-espanhol Diego Ventura. Frente a touros da ganadaria Alves Inácio, actuaram ainda os Forcados Amadores de Vila Franca de Xira e Alcochete.

Antes da corrida, Dom Duarte Pio, Isabel de Heredia, Infante Dom Afonso, Infanta Maria Francisca e Infante Dom João Dinis desceram a arena para cumprimentar todos os intervenientes do espectáculo.

Lides: Ventura triunfa, Ana esteve enorme no segundo touro e Palha com bons momentos…

Ana Batista abriu a noite com uma lide em que demorou a entender o touro, inicialmente, que lhe pedia lide em curto e dobrando-se com ele. A partir do momento em que acertou distâncias, desenvolveu uma lide de ligação, em curto, e a cravar com rigor. Uma lide que não tem nota mais alta devido a um forte toque inicial na montada e a algumas passagens em falso. Terminou com um bom palmito, após boa série na cravagem curta.

A segunda lide começa em plano inferior com várias passagens em falso na cravagem comprida. Na cravagem curta esteve em plano superior, sortes desenhadas de frente, abrindo quarteio e reunindo ajustadamente. Inteligente ao terminar em plano superior, recusando cravar mais um ferro. Lide de menos a mais, atingindo bons momentos de classe.

Diego Ventura com uma primeira lide bastante positiva. Iniciou com sorte gaiola, seguindo-se mais um comprido, sem qualquer preparação da sorte. Na cravagem curta, esteve em muito bom nível. Com temple, percebendo e medindo bem as distâncias e optando em cravar com fortes e marcadas batidas ao piton contrário e resultando em sortes ajustadas. Lide muito apreciada pelo público.

Recebeu o seu segundo touro de novo em sorte gaiola, que não resultou. Dobrou-se bem com o touro e o segundo comprido é de muitos quilates no desenho, cravagem e remate da sorte.

Nos curtos, montando Nazari, começou com mais um grande ferro, numa reunião ajustada. O segundo curto resultou em toque na montada. Ventura demonstrou um domínio perfeito das suas montadas, com uma brega pujante e vistosa, enchendo a cara do touro com as montadas enquanto este o perseguuia. Já montado no Guadalquivir, crava mais dois curtos de boa nota. Culminou a lide, montando o Dólar, cravando dois pares de bandarilhas com a montada sem cabeçada. O segundo é de soberba execução. Ventura a mostrar o porquê de ser considerado líder do toureio a cavalo, na actualidade.

Francisco Palha começou muito mal a sua primeira lide, ao terceiro touro da corrida. Os ferros compridos resultaram mal, com toque na montada e passagens em falso. O primeiro curto é à Palha e no remate da sorte, levando o touro no encalce da montada, levantou o público. Seguiram-se mais dois curtos de excelente nota, o quarto é de muito má nota e resultou descaído e culmina a actuação mais um bom ferro. Uma actuação soluçante mas positiva, capaz do melhor e pior.

Na lide que encerrou a noite, ao sexto touro, Francisco Palha esteve em muito bom plano. Começou a lide, na acepção da palavra, logo nos compridos e foi evoluindo qualitativamente a cada ferro. Desenho das sortes em curto, de frente e de alto a baixo, em ferros com emoção. À Palha. Está a regressar ao nível de qualidade que se lhe reconhece.

Pegas: Arte de Bem Pegar!

Vila Franca de Xira: Pedro Silva (terceira tentativa); João Luz (primeira tentativa apoteótica e poderosa); João Matos (primeira tentativa numa boa execução).

Alcochete: João Machacaz (primeira tentativa); Diogo Fortes (grande pega à primeira tentativa); Manuel Pinto (primeira tentativa).

Uma noite com muito boas pegas por parte dos dois grupos de forcados, numa verdadeira demonstração da arte de pegar touros.

Touros: Cumpriram!

A ganadaria Alves Inácio data de 2009 e está situada no Monte Cunha, em Benavente. José Alves Inácio além da ganadaria tem uma coudelaria com a mesma denominação. A ganadaria formou-se através da compra de vacas com ferro e divisa Coimbra Barbosa, com procedência Montalvo, tendo posteriormente aumentado o efectivo com vacas e sementais António Ordónez “Antoñete”, de procedência Murube-Urquijo, linha que se mantém na actualidade como base da propriedade.

Um curro de touros de apreciável apresentação, para esta praça, o quarto a destacar-se pela cara harmoniosa e o quinto a permitir chamada do ganadeiro à arena. Pela negativa, o primeiro da corrida, quer em apresentação quer em transmissão.

Direcção de Corrida

Corrida dirigida por Lourenço Luzio, assessorado por Jorge Moreira da Silva.

Lotação

Próxima da lotação esgotada.

One thought on “Diego Ventura triunfou na Tourada Real, na presença de Dom Duarte Pio

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.