Eco Festival Azores Burning Summer, de 26 a 29 de Agosto, na Praia dos Moinhos

Música e Cinema, são estes os ingredientes que vão manter viva a chama do Eco Festival Azores Burning Summer em 2020. Uma edição que se estende por quatro dias, com lotação limitada a 150 pessoas e diversas restrições, para demonstrar que é possível manter a actividade cultural em segurança durante a pandemia.

 

O Azores Burning Summer acontece desde 2015 no Parque e Praia dos Moinhos, no Porto Formoso — ilha de São Miguel e diferencia-se no quadro dos festivais de música nacionais pelas iniciativas de cariz artístico e de sensibilização ecológica, pelas boas práticas ambientais e controlo de impactos. Não se posiciona como um festival de música para massas mas sim como um evento de acesso equilibrado que liga a música à terra e a arte à consciencialização ambiental.

A escolha da Praia dos Moinhos para a realização do evento foi estratégica: o local é caracterizado por uma profunda beleza natural e uma dinâmica própria que tem marcado gerações, para além de permitir descentralizar a oferta cultural e de animação turística.

Tendo em conta o actual contexto da pandemia e numa perspectiva de contribuir para a continuidade da actividade cultural em segurança, a organização do Eco Festival Azores Burning Summer decidiu realizar a edição de 2020 num formato reduzido e altamente restritivo de modo a garantir a máxima proteção da saúde pública.

Durante quatro dias vários artistas locais irão subir ao palco montado na esplanada da Praia dos Moinhos. A programação contempla a participação dos DJ’s Matti, Nex, Tape e Narco Paulo e os concertos de Sara Cruz, Funny Caravan Jazz Quartet, Nordela Jazz Convention e PMDS.

O cinema é uma arte que proporciona a partilha de conhecimento e abre portas à reflexão. Questionar, inquietar e promover mudanças de comportamentos é a finalidade do ciclo de cinema que se estreia ao ar livre na Praia dos Moinhos com a apresentação dos filmes: Gipsofila de Margarida Leitão, Volta à Terra de João Pedro Plácido, Pára-me de repente o pensamento e Até que o Porno nos Separe de Jorge Pelicano.

A edição de 2020 irá decorrer nos dias 26, 27, 28 e 29 de Agosto, entre as 19h00m e as 24h00m, com lotação máxima de 150 pessoas, numa área de 450m2, com lugares marcados, mesas com 2 cadeiras e distanciamento de acordo com a lei, incluindo uma distância de 4m entre palco e primeira fila do público. Os bilhetes diários têm um valor simbólico de 10€ e estarão à venda no Tukátulá Bar (Ribeira Grande), Moinho Terrace Café (Porto Formoso) e Livraria Solmar (Ponta Delgada).

O posicionamento do Festival em 2020 é o de incentivar a actividade cultural em segurança, num de gesto de solidariedade para com todos os artistas e profissionais do sector cultural.

A Organização do festival está a acompanhar as orientações da Autoridade Regional de Saúde e, caso não existam condições para a realização do evento, o mesmo será ajustado ou adiado.

O evento é organizado pela ARTAC – Associação Regional para a Promoção e Desenvolvimento do Turismo, Ambiente, Cultura e Saúde.

PROGRAMA

26 AGOSTO

19h00m – DJ Set: Matti

20h30m – Concerto: Sara Cruz

22h00m – Cinema na Praia: Gipsofila (2015/ 1h/ Margarida Leitão)

27 AGOSTO

19h00m – DJ Set: Narco Paulo (New Wave/ Tropical/ Afro Synth)

20h30m – Concerto: Funny Caravan Jazz Quartet

22h00m – Cinema na Praia: Pára-me de repente o pensamento (2014/ 1h41m/ Jorge Pelicano)

28 AGOSTO

19h00m – DJ Set: Nex

20h30m – Concerto: Nordela Jazz Convention

22h00m – Cinema na Praia: Volta À Terra (2014/ 1h18m/ João Pedro Plácido)

29 AGOSTO

19h00m – DJ Set: Tape

20h30m – Concerto: PMDS

22h00m – Cinema na Praia: Baraka (1993/ 1h29m/ Ron Fricke)

POSICIONAMENTO DO FESTIVAL

Promover a ideia de sustentabilidade e exclusividade posicionando o festival como um evento de características únicas nos Açores, bem como no contexto continental e europeu dos festivais de Verão.

Proporcionar um evento diferenciador que seja uma alternativa de qualidade à oferta existente pelas particularidades do seu programa, postura ambiental e pela singularidade do local onde acontece.

Promover e praticar turismo e cultura sustentáveis, afirmando o concelho da Ribeira Grande, a ilha de São Miguel e os Açores enquanto geografia acolhedora e promotora de eventos culturais de qualidade.

Posicionar o Porto Formoso na rota dos festivais ecológicos nacionais e internacionais, salientando o pioneirismo do evento no contexto açoriano.

 

ECOLOGIA

 

A organização do festival tem como objetivos a redução do lixo e do desperdício e a alteração de hábitos de consumo por parte do público, sendo que a maior meta a alcançar é o despertar da consciência ecológica coletiva.

Medidas implementadas

– Introduzimos Ecopontos para a recolha selectiva de papel, plástico, metal e orgânicos;

– Banimos copos, garrafas, palhinhas, palhetas, louça de plástico e outros descartáveis;

– As bebidas são servidas no eco-copo reutilizável;

– O açúcar para café é servido em doseadores em substituição das saquetas;

– Nos bares usamos o sistema de refill em substituição das latas e embalagens de vidro, plástico e cartão;

– Na restauração são utilizados materiais reutilizáveis ou biodegradáveis: pratos em farelo de trigo, cana de açúcar ou papel e talheres de madeira;

– Utilizamos guardanapos de papel reciclado e biodegradável;

– Não usamos toalhas de mesa para não haver desperdício;

– Disponibilizamos cinzeiros individuais portáteis; 

– Produzimos flyers e cartazes em papel reciclado;

– Restringimos a publicidade dentro do recinto na defesa da política ‘Ruído Visual Zero’;

– Banimos a utilização de geradores elétricos a combustíveis fósseis, para privilegiar a utilização da energia elétrica renovável disponível no período noturno;

 

Metas Ambientais Alcançadas

Zero Desperdício / Zero Ruído Visual

 

Alcance Verde

Com a introdução do eco-copo reutilizável, entre 2016 e 2019, o festival conseguiu evitar o desperdício de cerca de 75.000 copos descartáveis.

 

MEDIDAS DE PROTEÇÃO

O evento irá realizar-se num recinto ao ar livre, delimitado, com segurança e controle de entradas e saídas. O acesso é feito mediante a aquisição de bilhete individual / diário com um custo de 10€ por ingresso.

Os utilizadores serão orientados para as respectivas mesas que estarão posicionadas de acordo com o distanciamento de segurança definido para estabelecimentos comerciais com esplanada. Os utilizadores que se apresentem em grupo serão questionados sobre sua situação de coabitação e a sua distribuição no recinto será em função da informação que partilharem.

A utilização de máscara é obrigatória sempre que os utilizadores estejam estejam em pé ou sempre que movimentem para fora do lugar que lhes foi reservado.

O serviço de bar será feito com atendimento às mesas, não haverá serviço ao balcão.

Será disponibilizado gel desinfetante à entrada no recinto.

Todos os elementos das equipas de produção, técnica e assistência ao bar irão utilizar máscara e luvas, os funcionários que trabalham ao balcão estarão equipados com máscara, luvas e viseira.

Os artistas terão uma área exclusiva ao ar livre, organizada de acordo com as normas sanitárias estabelecidas pela Autoridade Regional de Saúde.

O acesso às instalações sanitárias será controlado por elementos da organização e a sua utilização será de acordo com as orientações da Autoridade Regional de Saúde.

A higienização / desinfecção do recinto será de acordo com a lei vigente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.