edpcooljazz: Marta Ren trouxe o funk e a força do norte aos Jardins do Marquês de Pombal

arrowarrow


Marta Ren trouxe ontem aos Jardins do Marquês de Pombal o seu mais primeiro álbum”Stop, Look, Listen”, na quinta noite do edpcooljazz, que teve como cabeça de cartaz a reconhecida artista internacional Stacey Kent.

Pelas 21:00 subiu a palco a artista nortenha que se mostrou enérgica, e num concerto de 45 minutos, apresentou um pouco do seu mais recente disco que viaja pela sonoridade do groove funk, mas que conta também com uma balada.

 

 

Marta Ren que em conversa com o Infocul começou por nos dizer que “tem corrido melhor do que eu estava à espera e o principal feedback tem vindo de revistas da especialidade, rádio e blogs internacionais” sobre as reacções ao seu disco que é distribuído em Portugal pela Sony e no estrangeiro por uma editora italiana, contando neste momento já com uma segunda edição no Japão, sendo que Marta Ren faz neste momento um balanço muito positivo pois a “promoção está a ser muito boa”.

 

 

Este disco é pessoal, inspirado nas minhas vivências, às vezes também em vivências de amigos, mas em que normalmente eu estou sempre envolvida nem que seja como confidente”, sendo que a principal mensagem neste disco “são as historias de vida comum, obviamente que falo de amor, mas também falo de desamor, as frustrações enquanto artista, algo perfeitamente normal em quem trabalha nas artes, até mesmo tu que trabalhas na divulgação das artes porque muitas vezes isso é te bloqueado o acesso, e algumas vezes temos que saber lidar com alguma frustração, tendo nós que reverte-la e que nos faça andar para a frente e às vezes com um bocadinho mais de força”.

 

 

A artista revela por exemplo que no tema “Release Me” aborda as pessoas que muitas vezes cuidam de todos os que as rodeiam menos de si próprias, mas que “neste tema pode haver um duplo sentido e ser também encarado como uma tacadinha à industria musical” mas neste disco pretende mostrar que “tenho uma vida comum. Sou uma pessoa feliz porque faço aquilo que gosto e tenho muito bons amigos, a musica liberta-me de muita coisa mas depois também tenho as frustrações, as fragilidades e o medo que toda a gente tem”.

 

 

E foi este lado de ser comum, que nos poucos momentos de interacção com o público, tentou mostrar. Marta Ren tinha apenas 45 minutos para apresentar o seu trabalho, mas sempre foi incentivando o público a dançar, e a juntar-se mais a ela na frente palco.

 

 

Em palco fez-se acompanhar por um belíssimo naipe de músicos, The Groovelvets,  que lhe dão a rede que sustenta a sua portentosa voz.

 

 

Na segunda parte do concerto, actuou Stacey Kent que tem com Portugal uma ligação de grande partilha. Já por várias vezes cá actuou e até fala bem português. O público gosta da artista e essa energia acaba por ser notórias nos seus espectáculos.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6784 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.