Feira da Moita: Nuno Casquinha revela o facto que “faz com que seja ainda mais especial tourear na Moita”

Fotografia: Nuno Almeida

Nuno Casquinha integra a corrida de touros de 16 de Setembro, na Praça de Touros Daniel do Nascimento, na Moita, totalmente composta por matadores de touros portugueses.

 

Frente a touros da ganadaria Palha, estarão em praça Nuno Casquinha, Joaquim Ribeiro ‘Cuqui’ e João Silva ‘Juanito’.

Nuno Casquinha concedeu uma entrevista ao Infocul para abordar a corrida na Moita, falar sobre as recordações que tem desta praça e ainda sobre a temporada atípica que atravessamos.

Nuno, qual a importância de pisar a arena da Praça de Touros Daniel do Nascimento?

Pisar uma praça como a Daniel do Nascimento é sempre motivo de orgulho e felicidade. Foi a terra onde nasci taurinamente, pois aqui aprendi a tourear com os Maestros Armando Soares e Júlio André, esse facto faz com que seja ainda mais especial tourear na Moita.

 

A Praça de Moita é uma das mais importantes do país. Aumenta a responsabilidade ou a motivação é também maior?

Responsabilidade existe sempre, mas neste caso a motivação é maior. Considero um privilégio, sobretudo nesta temporada tão estranha, poder fazer o que me apaixona e ainda para mais numa praça com tanta ‘solera’.

 

Nesta temporada atípica, quais os maiores desafios?

Penso que o maior desafio seja sobretudo a falta de actividade, em anos anteriores nesta altura já levava toureadas 20 ou 30 corridas, e essa inatividade, nota -se sem dúvida. No entanto, o mais importante é a saúde e graças a Deus nenhuma pessoa da minha família foi infectada. E isso sim, é motivo para agradecer.

 

Qual a história mais curiosa que tens ou possas contar, que tenha acontecido na Daniel do Nascimento?

Não existe nenhuma história em concreto, mas é uma praça que me traz recordações especiais. Desde muito pequeno treinava naquela arena, sonhando com algum dia voltar já como matador, ver que isso agora se concretiza, como em 2018 quando toureei com o Maestro Manuel Escribano, é motivo de uma imensa alegria.

 

Já decidiste que traje usarás na corrida? Se sim, qual?

Ainda não decidi que traje irei usar, geralmente na véspera da corrida é quando decido.

 

Tens alguma superstição antes da corrida?

Não me considero muito supersticioso, no entanto tento que a montera nunca esteja em cima da cama, essa é das poucas “manias” que tenho.

 

Ganadaria Palha. Tens boas recordações?

A ganadaria Palha é sempre sinónimo de exigência e emoção. Tive a sorte de poder triunfar na praça de Vila Franca, dois anos consecutivos com estes toiros, por isso tenho óptimas recordações desta histórica ganadaria.

 

Um cartel inteiramente de matadores e todos eles portugueses. Como analisas este cartel?

Creio que é um cartel bastante interessante para os aficionados. Os meus alternantes são dois matadores com imenso talento e aos quais admiro.Aproveito também esta ocasião para dar os meus parabéns à empresa Tauroleve por esta aposta no toureio a pé.

 

Que mensagem deixas aos nossos leitores?

Gostaria que na próxima quarta-feira possa ser uma noite bonita para todos e que o público desfrute. Nestes tempos tão conturbados em vários aspectos, seria importante que fosse uma corrida de êxitos.

 

O Cartel de Dia 16 de Setembro é o seguinte: 

Dia 16 – 22:00 horas – Corrida de Toiros

Matadores: Nuno Casquinha, “Cuqui” e “Juanito”

Ganadaria: Palha

Entrevista e Texto: Rui Lavrador
Fotografia: Nuno Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.