“FESTin +” em destaque no penúltimo dia do FESTin

A Mostra Festin+ marca o penúltimo dia do Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa ( Festin).

 

Às 17 horas, na Sala 3 e com uma duração de 63 minutos, a mostra vai apresentar os seguintes filmes, dedicados à população sénior:” Debaixo das Cerejeiras”, “Melhor idade é o caralho”,” Nazareth” e “O silêncio não está morto, querida vò Helena”.

 

 

Às 18:30,na Sala 3 e com uma duração total de 93 minutos é a vez da Mostra Brasileira de Curtas-Metragens. “Borra”,” Chapa”,” Fantasia de Papel”,” Frágil”,” Nuvem” e “O nome do dia” são as 6 curtas-metragens brasileiras a serem apresentadas neste dia.

 

 

“A Floresta que se Move” é estrelado por Gabriel Braga Nunes e Ana Paula Arósio. O filme passa às 21:30 na Sala Manoel de Oliveira. Mistura de drama de contornos shakespearianos com elementos de suspense e terror para contar uma história passada no mundo das altas finanças. Elias (Gabriel Braga Nunes) é vice-presidente de um grande banco que, subitamente, vê-se chamado para assumir a presidência. Casado com uma mulher ambiciosa (Ana Paula Arósio) ambos cedem à cobiça desmedida que os leva a uma trilha brutal de violência carregada de terríveis simbolismos. Estreado no Festival Internacional de Montreal, marcou presenças no Festival do Rio, Mostra Internacional de São Paulo e no Fantasporto.

 

 

O filme luso-brasileiro “Beatriz” passa em homenagem à CPLP, às 19 horas na Sala 3. Beatriz e Marcelo são um casal jovem e apaixonado. Ao mudarem-se para a Europa, ela tenta proteger Marcelo para que ele reencontre o seu rumo profissional como escritor. Em Lisboa, Beatriz firma-se trabalhando como advogada, enquanto Marcelo parece sair do vazio que o dominava, enfrentando o desafio de escrever o seu segundo livro, um romance sobre ciúme que envolve experiências do seu próprio casamento. Mas esse processo criativo pode levar à destruição da sua relação. Estreado no Festival do Rio.

 

 

Às 20:30,na Sala 3,a Mostra de Inclusão Social contém os filmes “Pés sem chão” e “A lenda do gato preto”. A Mostra de Inclusão Social, uma das mais antigas do FESTin, apresenta este ano a longa-metragem cearense A Lenda do Gato Preto, inédita no Brasil e na Europa, que recentemente recebeu o Troféu Ouro de Direitos Humanos pelo World Human Rights Awards (WHRA), um dos eventos mais importantes do mundo em difusão e promoção dos direitos humanos. A sessão será aberta pela curta-metragem “Pés Sem Chão”. O filme retrata a história de uma lavadeira negra – moradora de uma favela no Rio de Janeiro – e do seu dependente, que se vêem obrigados a abandonar o barraco onde vivem, num episódio que ilustra o drama dos moradores favelados, desapropriados por conta da exploração imobiliária.

 

 

Sertão do Nordeste brasileiro, tempos atrás. Um grupo de ciganos acampa nos arredores de Quixadá, seguindo a previsão de que um novo tempo se anuncia. Ali passam semanas mudando a paisagem, interferindo no quotidiano do pequeno lugarejo. Aos poucos se integram na vida da cidade e, usando a habilidade para o comércio, fazem da feira o seu ponto de negócios. Um pequeno grupo de ciganos envolve-se numa grande confusão após a esposa de um comerciante local atropelar um Gato Preto, animal de estimação de uma Cigana. Conflito que finda por expulsar a todos os ciganos da cidade. Anos depois, Mariana, sente-se tomada por uma força que a faz correr pelas ruas de Quixadá e subir pela parte mais íngreme da Pedra do Cruzeiro. A Cigana do gato morto retorna a Quixadá, agora dona do famoso Circo Estrela do Oriente. O seu filho e Mariana têm um romance proibido que mudará o rumo da história. É assim a sinopse da “Lenda do Gato Preto”.

 

 

Estes são os filmes que podem ser vistos no penúltimo dia do FestIn.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.