Festival A Salto, o Festival que vai tomar Elvas de Assalto!

primage_20173

 

 

Depois da edição zero, que aconteceu em 2016, a Associação Cultural UmColectivo, organiza a primeira edição efectiva do festival. A tomada de assalto pelas artes vai acontecer em Elvas de 28 a 30 de Julho. Este festival vai privilegiar a apresentação pública de projectos artísticos transdisciplinares, em diálogo com a topografia social e arquitectónica do Município.

 

 

 

Durante este fim-de-semana a organização prevê receber cerca de dois mil espectadores ao longo dos três dias para presenciar os projectos das mais diversas áreas das artes do espectáculo. No total são 22 projectos e mais de meia centena de artistas envolvidos que apresentarão as suas intervenções de teatro, ilustração, fotografia ou arte pública. Dos 22 projectos incluídos na programação do festival, quatro resultaram da escolha da comunidade. As escolhas dos elvenses são: “Museu Imaginário”, de Rita Sales; “Elvas Al Andar”, do mexicano Fernando Aranda; “Deslocamentos – Vista Sua Existência”, da brasileira Simone Donatelli e “CartografandOsol”, de Filipa Pontes.

 

 

 

Na sexta-feira, dia 28 de Julho, pode ser vista às 19:00- Sessão de Abertura com o Lançamento da Revista “Flan A Salto”, na Sociedade Instrução e Recreio; 22:00- Poesia Clandestina com o grupo Atrito (Lisboa) nas Pedras do Castelo e às 00:00- Peça “T0”, de José Lobo (Lisboa) no “O Elvas” CAD.

 

 

 

No sábado, dia 29 de Julho, pode ser visto das 07:00 às 13:00 a instalação de fotografia e performance “Como a vida, o Tempo”, de Ricardo Guerreiro Campos (Setúbal), no Mercado Casa das Barcas; 10:00- O Museu Imaginário (Visita A), que vai conjugar a arte contemporânea e a performance de Rita Sales ( o ponto de encontro será o Mercado Casa das Barcas); 15:00- “CartografandOSol”, que será seguido de uma conversa com Filipa Pontes no Jardim das Laranjeiras; 16:00- “Constrói e Anima”, cinema de animação + escultura de Joana Nogueira e Patrícia Rodrigues (Porto) que poderá ser visto na Cafetaria do MACE; 17:00, 18:00 e 19:00- “Raízes Húmidas de Fumaça”, espectáculo de dança de Rebeca Marcolini (Rio de Janeiro, Brasil) que pode ser visto junto da Cisterna; 19:00- “Elvas Al Andar” (visita guiada com o artista) com Fernando Aranda (México) no Espaço ALMA; 21:30 às 01:00- Peça de teatro “Quarto Escuro”, com Mónica Calle (Lisboa) e “3 Casas de Banho na Cidade” na Torre Fernandina, Espaço ALMA e na Cafetaria Bar “O Castelo”; 22:00- “À Luz do Contrabando”, espectáculo de teatro + vídeomapping do Artelier? (Loures) na Praça da República; 23:00- O Museu Imaginário (Visita B), que vai conjugar a arte contemporânea e a performance de Rita Sales ( o ponto de encontro será a Sede do Assalto); 00:00- “Sound Surfaces”, espectáculo de Francisca Rocha Gonçalves que pode ser visto na Igreja dos Terceiros.

 

 

 

No domingo, 30 de Julho, pode ser visto pelas 10:00 o Museu Imaginário (Visita C) , que vai conjugar a arte contemporânea e a performance de Rita Sales ( o ponto de encontro será o Posto de Turismo); 11:00- A peça “As Palavras de Jó”, do Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo, pode ser vista na Igreja de Sta. Maria de Alcáçova; 16:30- “O Diabo Também Não É Mau”, Urban Art de Joanna Latka (com participação de Patrícia Rondão) que pode ser vista na Rua de Francisco da Silva;  17:30- “Deslocamentos UAP:Vista Sua Existência”, seguido de uma conversa com Simone Donatelli (Cotia, Brasil) na Sede do A Salto; 19:00- “Da Terra ao Palco”, concerto com César Prata (Guarda) e a Banda 14 de Janeiro e às 22:00-  Sessão de Encerramento onde poderá ser vista a instalação se vídeo e peça de teatro “Um Quarto de Penélope”, de Ricardo Santanna (Salvador, Brasil) e Joana Leal.

 

 

Noticia actualizada a 29-07-2017, pelas 11:38

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.