No mais difícil ano para o sector cultural o Festival Termómetro “não baixa os braços e vai continuar a lutar por dar espaço e voz às bandas emergentes. Curiosamente, num ano pandémico como o atual, a 26.ª edição apresenta-se como a mais ambiciosa de sempre. Nunca houve um ano com tantas participações nacionais e internacionais, num total de 352 inscrições recebidas, que se repartem por Portugal, Brasil, Espanha, México, África do Sul, Bélgica, Canadá e EUA“, refere o comunicado.

Para fazer frente à situação atual, o Festival Termómetro vai contar este ano com um programa físico e online. Físico porque vai estar de facto em todos os locais que se propõe, online porque em muitos deles perante o evoluir ou não da pandemia, poderá ser o único meio para se assistir às atuações dos artistas presentes na mostra.

O Festival Termómetro chegou aos 26 anos e com ele apresenta uma vida nova. São 24 bandas que se repartem por oito cidades e um país: Portugal. Em cada sessão serão apresentadas três bandas e/ou autores.

O Termómetro arranca já no dia 31 em Castelo Branco, no Cine-Teatro Avenida, com a participação especial de Surma, como artista convidada. Em palco estarão os Copa Turbo, Humana Taranja e Evaya. O Festival segue para Matosinhos, Aveiro, Tabuaço, Sesimbra, Portimão, Figueira da Foz e Oeiras.

DATAS E SALAS

Castelo Branco – 31 outubro – Cine-Teatro Avenida
Matosinhos – 14 novembro – Casa da Arquitectura
Aveiro – 20 novembro – Teatro Aveirense
Tabuaço – 28 novembro – Quinta de São Luiz
Sesimbra – 04 dezembro – Cine-Teatro Municipal João Mota
Portimão – 05 dezembro – TEMPO – Teatro Municipal de Portimão
Figueira da Foz – 12 dezembro – CAE – Figueira da Foz
Oeiras – 17 dezembro – Auditório Municipal Ruy de Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.