Festival Terras sem Sombra encerra edição de 2016 em Beja

O Festival Terras sem Sombra termina com “chave de ouro” uma temporada de concertos que fizeram história no Baixo Alentejo. Numa iniciativa levada a cabo em parceria com o Município de Beja, a catedral desta cidade, alvo de restauro e aberta recentemente ao público, será a anfitriã do último espectáculo, no dia 18 de Junho, pelas 21:30, com o ensemble vocal e instrumental de música antiga La Grande Chapelle (que vai apresentar um acervo musical único sobre os músicos de Portugal que faziam carreira na Espanha dos Filipes), dirigida pelo maestro Albert Recasens.

O concerto de Beja pretende dar ao público a redescoberta de um período esquecido da música ibérica como foi o caso da “Monarquia Hispânica”, onde vários artistas portugueses foram para o país vizinho.

 

 

La Grande Chapelle vai revelar três compositores portugueses que fixaram residência em Madrid ou em Sevilha, no século XVII:Manuel Machado, Fr. Manuel Correa e Fr. Filipe da Madre de Deus,pondo em confronto a sua música com a do espanhol Juan Hidalgo,harpista, à época, da Capela Real, o qual se tornara célebre por sero criador, com Calderón de la Barca, das duas primeiras óperas espanholas.

 

 

O programa que vai ser interpretado em Beja, em larga medida inédito, deleita-nos com uma selecção do magnífico repertório de alguns dos principais músicos ibéricos do século XVII que revelam características estilísticas comuns, entre elas o uso dos géneros em voga (tonos, vilancicos e romances), a ousadia harmónica ou a ênfase na retórica e na expressão do texto.

 

 

Natural de Cambrils (Tarragona), Albert Recasens iniciou, em 2005, um ambicioso projecto de recuperação do património musical peninsular, com a fundação de La Grande Chapelle e da etiqueta Lauda, de cuja direcção artística se ocupa desde 2007. Consagrando especial atenção ao repertório dos séculos XVI a XVII, tem dado a conhecer obras inéditas dos grandes mestres deste período.

 

 

Pela excelência artística, os discos de La Grande Chapelle obtiveram galardões e prémios nacionais e internacionais de reconhecido prestigio no âmbito da música antiga, como dois Orphées d’Or, “4 stars” do BBC Magazine ou “Critic’s Choice” de Gramophone.

 

 

No dia seguinte, na manhã de 19 de Junho, às 10 horas, músicos, espectadores e membros das comunidades locais unem-se para uma iniciativa de voluntariado, que tem por mote: “Entre Ribeiras: Na Confluência Das Ribeiras de Terges E Cobres-Turismo De Natureza E Sustentabilidade”. Esta acção decorre num itinerário entre os cursos fluviais e um barranco afluente, cuja vegetação foi salvaguarda ao longo de gerações pelos proprietários da herdade. No final, em torno de uma unidade de agro-turismo, denominada Xistos, espera os participantes com um conjunto de descobertas onde se destacam o potencial natural e o saber fazer. 

 

 

O concerto de encerramento do Terras Sem Sombra  acontece no dia 18 de Junho às 21:30 na Catedral de Beja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.