Festival Terras sem Sombra: Espanha é o país convidado numa programação de excelência

Festival Sem Sombras_ Apresentação 25

 

O Festival Terras sem Sombra está de regresso e promete uma das melhores edições de sempre.

 

 

 

Na apresentação que decorreu ontem na Casa do Cante, em Serpa, foram apresentados os concertos e actividades de biodiversidade que darão corpo á 13ª edição de um festival que tem valorizado o Património arquitectónico e natural do Alentejo.

 

 

Contando com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Serpa, Tomé Pires, Director Geral do Terras sem Sombra, José António Falcão, Director Artístico do Terras sem Sombra, Juan Angel Vela del Campo, consultor para a biodiversidade do festival, Pedro Azenha Rocha e a vereadora da cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira, foram apresentados os oito concertos que integram esta edição sob a temática “Do espiritual na Arte”.

 

Festival Sem Sombras_ Apresentação 26

 

O autarca de Serpa começou por referir que este festival integra-se na “estratégia de desenvolvimento”, destacando ainda que o “dinheiro que é investido na cultura, não é despesa mas sim investimento”, deixando ainda a sugestão que “se temos património, temos que o salvaguardar”.

 

 

Sara Fonseca, directora geral do Terras sem Sombra, disse em entrevista ao Infocul que “infelizmente mantemos o orçamento de 200 mil euros”, indicando que a coisa que a deixa mais magoada ao longo do percurso do Terras sem Sombra, “é o mérito do festival reconhecido por todos, excepto por quem poderia contribuir com meios económicos que pudessem ajudar o Festival a não viver num sufoco permanente e a ter contas por pagar de vez em quando”. Confessou ainda que lhe falta concretizar o projecto “Terras sem Sombra Kids 2018” onde espera contar com várias centenas de crianças a cantar.

 Festival Sem Sombras_ Apresentação 32

 

Há um aspecto que nos tem deixado um pouco perplexos que é a dificuldade que a própria igreja tem em aceitar que a música sacra e a música religiosa tem de facto um lugar privilegiado nos seus espaços de culto e nos seus espaços de devoção. Realmente existe aqui um divorcio que é muito doloroso e que temos que remediar entre todos” começou por nos dizer José António Falcão que disse ainda que “logo que o cante alentejano atinja aquele nível de qualidade profissionalismo e artístico que permita para os repertórios que são característicos num festival deste género, ombrear com outras manifestações” quando questionado para quando a inserção do cante alentejano na programação do festival, sem ser na apresentação do mesmo, que habitualmente acontece. Ontem, Pedro Mestre levou duas turmas do projecto “Cante nas Escolas” a interpretarem acompanhadas pela sua viola campaniça, algumas modas conhecidas.

 Festival Sem Sombras_ Apresentação 27

 

Festival Sem Sombras_ Apresentação 34

 

Festival Sem Sombras_ Apresentação 35

A programação deste ano passará por Almodôvar, a 11 de Fevereiro, Odemira, 4 de Março, Santiago do Caçém, 25 de Março, Castro Verde, 8 de Abril, Serpa, 6 e Maio, Ferreira do Alentejo, 27 de Maio, Sines, 3 de Junho, e Beja a 17 de Junho, em termos de concertos. A entrega do Prémio Terras sem Sombra decorre a 1 de Julho em Sines. Nos dias seguintes aos concertos haverá sempre uma actividade e biodiversidade.

 

 

Toda a programação do festival pode ser consultada em festivalterrassemsombra.org.

 

 

À semelhança de anos anteriores, o Terras sem Sombra, terá também este ano um produto que percorrerá todo o festival, sendo uma das imagens do mesmo. Depois de vinho, medronho, entre outros, a escolha este ano recaiu no Azeite.

 Festival Sem Sombras_ Apresentação 01

 

Festival Sem Sombras_ Apresentação 05

 

Festival Sem Sombras_ Apresentação 07

 

Festival Sem Sombras_ Apresentação 11

 

Festival Sem Sombras_ Apresentação 15

 

Com base neste escolha foi proporcionada uma visita à Cooperativa Agrícola de Beja e Brinches, onde foi explicado aos jornalistas todo o processo desde a apanha da azeitona até à venda do azeite ao público em geral.

 

 

Importa ainda referir que o país convidado deste ano é Espanha tendo a programação inclusive flamenco. Um festival a não perder!

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6327 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.