Finisterra: Festival de Cinema que promove a região da Arrábida

A 5ª edição do Finisterra Arrábida Film Art & Tourism Festival decorre de 10 a 13 de Maio, em Sesimbra.

Esta quinta edição atingiu um recorde de participantes. A edição do ano passado ficou marcada por uma timelapse feita pelo ucraniano Kirill Neiezhmakov, sobre Sesimbra e Lisboa. O país convidado deste ano é a Indonésia. O Festival foi criado por Carlos Sargedas, um fotógrafo e um apaixonado por cinema.

 

 

Com uma participação de 232 filmes de 64 países, este Festival é apenas o mote para divulgar a Região da Arrábida para o Mundo do cinema e atrair realizadores e produtores a conhecer um dos melhores locais para filmagens. Os produtores e os realizadores que aqui participam são bastante jovens.

 

 

O Festival de ano para ano consegue atrair de ano para ano mais gente e mais investimento para conhecerem uma zona com cenários naturais belíssimos. Aqui são mostrados pequenos filmes institucionais e curtas-metragens.

 

 

No penúltimo dia do festival ( 12 de Maio), os filmes em cartaz foram: 3glav Adventures ( da Eslovénia), McNamara Surf Trip-Extra Holly Waves ( o conhecido surfista percorre o país à procura das melhores ondas e do que o país tem para oferecer),#Share Lisboa ( Portugal), Welcome to Veliky Novgorod, the Birthplace of Russia, A South American Journey ( Canadá), Closer to Sharks ( Alemanha), Descubra a Madeira ( com a participação da actriz Jéssica Ataíde) e Dubrovnik and Time ( Croatia).

 

 

Os grandes destaques da noite foram “Gorongosa Park-Rebirth of Paradise” ( este filme acabou bem próximo das 00:00) e a antestreia do filme “O Hospedeiro H635”. Num futuro próximo uma fonte de lucro importante deriva do roubo de informações entre grandes empresas. Uma organização de espiões tem desenvolvido um chip que permite implantar na memória uma quantidade infinita de informações protegidas por um firewall que só baixa com a vontade do hospedeiro, por isso a partida inacessível. Porem as vezes as coisas correm de forma inesperada e o ladrão se pode tornar vitima da própria maquina de espionagem. O filme é de Octávio Marques e Alberto Rocco.

 

Já “Gorongosa Park-Rebirth of Paradise” retrata a jornada do cameraman Wildlife Bob Poole passou dois anos vivendo no Parque Nacional da Gorongosa, juntando-se cientistas e conservacionistas na batalha para reabilitar este parque lendário.

 

Todos os filmes aqui apresentados estão em inglês. Do júri fazem parte a jornalista espanhola Concha Pelayo e do director italiano Alberto Rocco. O último dia, 13 de Maio, fica guardado para a entrega de prémios. O Finisterra Arrábida Film Art & Tourism Festival tem o alto patrocínio do Presidente da República.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.