Fuga: “Criámos um projecto com o máximo de honestidade musical possível”

Em 2019, nasceu um novo projecto musical em Portugal. De nome Fuga, constituído por 4 elementos, promete não ser apenas mais um projecto na cena musical portuguesa. E para perceber como irão conseguir isto, fomos entrevistá-los.

Isaac Pimenta, André Prista, Miguel Branco e David Trindade integram um projecto cuja base musical será o pop-rock, e em português, mas que não fecha portas a outras influências. Até ao momento, gravaram já três temas e os planos estão já todos delineados…agora falta concretizá-los. 

André Prista foi o porta-voz do grupo, numa entrevista que publicamos de seguida.

Fuga é um projecto que surge quando e com que objectivo?

Os FUGA, como o próprio nome indica, são uma forma de fugir à nossa “praia” pessoal, às rotinas do dia a dia, a tudo o que é levado como garantido. Juntos, criámos um projecto com o máximo de honestidade musical possível e, assim, vamos tentar fazer algo mais no panorama Português.

Na vossa biografia, revelam que pretendem “revolucionar conceitos e estilos musicais” e que não querem ser apenas mais uma banda de pop-rock. De que forma o pretendem fazer?

O tempo o dirá, mas acredito que de forma controlada e devidamente pensada, traremos algo que nos orgulhe e faça quem nos ouve sentir algo bom… Temos alguns planos, não queremos revelar todos porque são muitos para quem ainda agora começou, mas prometemos não ser só uma banda sempre igual.

Há quanto tempo se conhecem?

Eu e o David já tínhamos algumas “vontades musicais” passadas, mas a vida levou-nos a continuar os projectos presentes da altura e aguardar por uma oportunidade mais propicia. Essa oportunidade chegou quando falei dos meus objectivos, mostrei a voz e percebemos a personalidade do Isaac, que, por sua vez, nos apresentou, também de Santarém, o Miguel. Dois para dois, entre Lisboa e Santarém, nascem os Fuga!

Há, pelo menos, três temas gravados: “Amanhã”, “Realidade Onírica” e “Nasce Assim”. Como descrevem cada um destes temas?

A música “Amanhã” foi o último single que lançámos. Surgiu com um momento muito pesado na minha vida. Infelizmente alguém que me era querido estava numa fase terminal de uma dura luta contra o cancro e, o sofrer de anos estava congelado naqueles últimos dias, todo o ambiente e o que se viveu ( de forma absolutamente óbvia pela Ana Rita, mas especialmente pela família) fez com que a homenagem surgisse. A música foi criada com a Ana, ainda em vida, e infelizmente, a música foi terminada pelo falecimento. Foi um momento duro e como a forma de expressão dos músicos surge da sua arte, foi o que me saiu de forma honesta e para que se possa recordar sempre… No espaço de 1 mês, uma pessoa ligada ao Isaac e outra ao David, faleceram pelo mesmo motivo o que tornou a música ainda mais importante para nós.

A “Realidade Onírica” fala do momento chave em que não pensas em nada, esqueces-te do mundo e tudo parece encaixar bem. Fala daqueles momentos mágicos em que sentes que só importa o que estás a viver e a sentir.

A “Nasce Assim” tem várias formas de ser interpretada, mas apenas uma de ser ouvida. Fala de amor. Daquele amor mais puro que nasce de ver, falar, sorrir, planear e crescer – como o crescimento musical no decorrer dos 3 minutos de música. Depois é um amor que não tem apenas o significado mais direto como o de duas pessoas, mas sim de um amor entre um neto e um avô, ou uma pessoa e um animal de estimação, enfim… qualquer primeiro afeto no sentido crescente que nos traga bons sentimentos e vontade de estar.

Em última análise, é preciso nascer para começar, e nós… Nós nascemos enquanto banda e esperamos crescer de forma saudável.

Música sem sentimento é música que não nos toca. Mais sérios, mais reais, mais história, mais fantasia… de pés assentes na terra já basta a vida de adultos, vamos deixar que a música nos leve e nos faça fugir…

Como é o vosso processo criativo?

Neste projecto musical sentimos a vantagem de, para além de músicos, estarmos associados à produção musical, gravação, etc… Eu, por exemplo, tenho o meu espaço (estúdio A39) ligado à produção musical, mistura e masterização o que me ajuda muito. A ligação diária com músicos e futuros talentos da música Nacional também me inspira e ajuda a estar actualizado. Por ter estas vantagens, normalmente levo o produto já feito e bastante delineado, ou discutimos em conjunto e tratamos das notas musicais de forma bastante focada. Estamos sempre a dialogar e trocar ideias musicais de forma bastante diversificada. No fim do dia, o que conta é que nos soe bem e nos faça sentir algo.

Para quem não vos conheça, quem integra este projecto?

Os Fuga são 2 pessoas a que convidam cada ouvinte a fazer parte das suas fugas musicais, para que, em uníssono, usufruam dos prazeres que a música proporciona. Assim, o Isaac Pimenta na voz e eu (André Prista) na guitarra convidamos o Miguel Branco no baixo e o David “Maniac” Trindade na bateria que, neste momento nutrindo e mantendo a veia acústica, despida de preconceitos, provinda de uma fase dura exposta através de um poema e notas musicais transformados em single, estamos a preparar, em formato de celebração do ano 2020, o primeiro de dois singles de Inverno: “Momento Por Chegar”.

Na vossa biografia revelam também que pretendem ter um registo comercial. Muitas vezes o registo comercial é associada a menor qualidade. Como é que farão esta gestão?

O registo comercial existe pela nossa noção e diálogo sobre as nossas composições que, para já, abordam temas senso comum. Ainda assim não criamos música com rótulos por isso fazemos questão de ter na nossa biografia: “O destino? Não sabemos, mas a música e a língua portuguesa farão parte no nosso caminho conjunto.”. Não nos importamos com o comercial, importamos-nos em ter boa música, em todos os sentidos.

Além do pop-rock, que outras sonoridades poderemos ouvir na vossa música?

De tudo o que vemos e respiramos… O que posso dizer é que felizmente este projecto musical tem personalidade interna, e a resposta a essa pergunta virá, também, com o tempo. Respeitamos-nos, temos algumas divergências musicais saudáveis e, paralelamente, conhecimentos ao nível da produção, o que nos faz perceber bem o que queremos e por onde podemos ir. O panorama musical Português é diversificado e tem uma qualidade distinta, veremos se as nossas personalidades musicais conjuntas nos fazem fugir no sentido certo, mas que vamos mostrar algumas surpresas…isso vamos, é termos a oportunidade.

Este será um projecto totalmente cantado em português?

Deixa-me dizer da seguinte forma: Eu considero-me uma pessoa lutadora e, para mim, só é lutador quem é fiel aos seus objectivos. Começamos este projecto em Português porque adoramos a nossa língua, o nosso pais (especialmente no Verão) [risos] e somos gratos por cá estar independentemente dos defeitos, feitios, lutas e tudo mais que existe para dizer (não somos políticos, somos músicos). Dito isto, já tive projectos musicais em Inglês, não fecho a porta porque os objectivos têm sempre um propósito, mas os Fuga estão focados em Portugal e na língua de Camões.

Qual a análise que fazem actualmente ao mercado nacional e quais serão os maiores desafios para o projecto Fuga?

O mercado está complexo, não pelos clichés e queixas fáceis, mas sim porque a música Portuguesa está Top Top Top em todos os sentidos. Temos grandes produtores, grandes compositores, grandes artistas e principalmente um grande publico consumidor de música Nacional que nos abraça de uma forma que de tão pequenos parecemos tão grandes. O desafio é fazer melhor porque o que é bom vem sempre ao de cima.

Em termos de espectáculos, o que já pode ser revelado? Há conversações ou convites?

Na realidade temos 3 singles lançados, o próximo estará disponível dia 14 de Fevereiro de 2020. Somos sonhadores, mas temos os pés assentes na terra. Sabemos que um espectáculo, só por nós, nesta altura poderia ser complicado. Esperamos poder abrir espectáculos ou convites que nos possamos orgulhar e orgulhar quem aposta em nós. Vamos fazer agora um showcase acústico e privado aos nossos seguidores mais atentos e fiéis, temos mais algumas iniciativas, mas espectáculos (como a palavra indica) e à nossa exigência, ainda não nos deram a oportunidade.

Já começou o movimento #fuganacomercial!Se também nos queres ouvir na Rádio Comercial, envia a tua mensagem de texto ou de voz para o whatsapp da Rádio Comercial (910033759) 💪🏼💪🏼

Publicado por Fuga em Quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

Onde esperam estar daqui a 10 anos e quais os planos?

É a melhor questão que podias fazer: Talvez numa praia a beber qualquer coisa fresca sem preocupações e com toda a gente feliz!!! Vem também que as boas pessoas são sempre bem-vindas. Não era bom?

Nós temos tudo planeado, mas a vida musical não nos deixa olhar para os próximos 10 anos com a clareza que gostaríamos porque a nossa forma de expressão é a música e, por bons ou maus motivos, temos de dar à nossa arte a nossa inspiração.

Como falado, os FUGA lançaram a música “Amanhã” que foi criada, gravada, misturada e masterizada em 2 dias, assim como um vídeo no fim da mesma semana por uma altura muito complicada na minha vida.

Podemos ter todos os planos do mundo, mas música sem sentimento não é música que queremos fazer e, por esse motivo, sempre que a sentirmos temos de a conseguir mostrar que essa sim, é real, importante e fará com que as pessoas a sintam da forma mais honesta possível. Se for uma homenagem a alguém, ainda melhor porque a vida são as pessoas.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6702 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.