Fundação Amália Rodrigues estabelece protocolo com Fundações Histórico Cultural Oureana e D. Manuel II

No âmbito das Celebrações do Centenário de nascimento de Amália Rodrigues, que já arrancaram no passado dia 23 de Julho, a Fundação Amália Rodrigues criada por testamento da própria, acaba de celebrar um importante Protocolo de Cooperação com as Fundações Histórico Cultural Oureana e D. Manuel II, ambas ligadas à figura da saudosa Fadista.

A assinatura do Protocolo teve lugar na emblemática Sala da Casa Museu Amália Rodrigues na Rua de São Bento numero 193, em Lisboa, e reuniu Joaquim Vicente Rodrigues, Presidente da Fundação Amália, D. Duarte Pio, Duque de Bragança Presidente da Fundação D. Manuel II e Carlos Evaristo, Presidente da Fundação Oureana,

O Protocolo prevê parcerias e patrocínios para a realização urgente de vários projectos que as Fundações parceiras pretendem realizar durante o Centenário, incluindo eventos, exposições, edições, sinalização, recolha e conservação de espólio e a publicação de um Catalogo para o visitante da Casa Museu.

Para D. Duarte, que era amigo pessoal da Fadista e frequentava a casa desde muito jovem acompanhado de sua tia Filipa e da Marquesa Olga Cadaval grande Patrona das Artes, “Este Protocolo representa um profundo respeito que sempre tivemos pela Amália e pelo que fez pela Cultura e por Portugal. É o testemunho de uma amizade pessoal que se manteve até ao fim da sua vida e o compromisso de continuar a ajudar a preservar a sua memória.”

Carlos Evaristo que era também amigo pessoal da Fadista recorda que “Este Protocolo é oportuno porque não só vem a propósito do Centenário do seu nascimento mas também no abrir do 25º Aniversário da Coroação da Rainha do Fado. A criação da Fundação Oureana e do seu Departamento “Instituto Amália Rodrigues, Rainha do Fado” foi criada no dia 12 de Agosto de 1995 tendo como Madrinha Amália Rodrigues que nesse memorável simbolicamente encerrou a sua carreia como cantora tendo sido homenageada e Coroada na 1ª edição do Prémio de Carreira da Fundação na categoria de “Rainha do Fado”. É oportuno recordar que foi nesse dia que foi inspirada a criar uma Fundação para preservar o seu legado que temos obrigação de ajudar a preservar e a perpetuar pelo que representa para Portugal e para tantos emigrantes e estrangeiros no Mundo por onde passou com uma verdadeira Embaixatriz da Cultura Portuguesa.”

Joaquim Vicente Rodrigues pretende com este Protocolo e com toda uma série de projectos apresentados para o Centenário, “ajudar a criar pontes entre organizações e estabelecer normas para salvaguardar o património da qual a Fundação tem responsabilidade de manter perante a memória da testamentária e do mundo de fãs e admiradores que esperam isso. A nova Direcção ao assumir este compromisso quer num espírito de total transparência e abertura de colaboração encontrar meios para garantir a continuidade da Fundação e preservação do nome e da imagem como marca e do espólio de recordações que marcaram a vida de Amália Rodrigues“.

Estiveram também presentes na assinatura do Protocolo vários membros da Fundação Amália Rodrigues e o Porta-voz e Relações Públicas da Fundação Oureana, Bruno de Castro.

Fotos: Arquivo Fundação Oureana

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.