No domingo, 10 de Fevereiro, a Fundação Calouste Gulbenkian acolhe uma nova edição da iniciativa Portas Abertas – um dia repleto de actividades com entrada gratuita, com destaque para os cinco recitais dos jovens músicos distinguidos pela ECHO – European Concert Hall Organisation, uma rede que reúne algumas das mais prestigiadas salas de concertos da Europa, entre elas a Gulbenkian Música.

Escolhidos com base na excelência musical e virtuosismo demonstrados, os intérpretes apresentam um reportório da sua escolha e uma nova obra encomendada especificamente para esta edição dos Rising Stars.

Os concertos têm início às 11:00 com a actuação do trombonista britânico Peter Moore que, com apenas 12 anos, venceu o concurso da BBC “Jovem Músico do Ano” e aos 18 se tornou o mais jovem músico a integrar a Orquestra Sinfónica de Londres. Peter Moore é apresentado por Barbican Centre London e acompanhado pelo pianista Jonathan Ware. Neste recital apresenta peças de várias épocas, muitas das quais transcrições de obras originalmente escritas para outros instrumentos.

Às 13:00 é a vez da harpista francesa Anaïs Gaudemard, intérprete proposta em conjunto pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Cité de la Musique-Philarmonie de Paris, e uma das mais brilhantes artistas da sua geração. Vencedora do Concurso Internacional de Harpa de Israel em 2012 e de múltiplos e conceituados prémios desde então, Anaïs Gaudemard toca um programa composto por obras como A Cotovia de Glinka, A Fonte de Albert Zabel Daquin, e ainda uma obra inspirada no quadro Os Pássaros da Noite de Edward Hopper.

Pelas 15:00 actua o Amatis Piano Trio, composto por Lea Hausmann (violino), Samuel Shepherd (violoncelo) e Mengjie Han (piano). Vencedores de vários prémios e competições internacionais, são um dos mais proeminentes trios de piano da nova geração. Para além de uma obra-prima de Schubert, o Trio com Piano n.º 2, em Mi bemol maior, D. 929, darão também a ouvir uma nova obra de Andrea Tarrodi, intitulada Moorlands, uma encomenda Festspielhaus Baden-Baden, Konzerthaus Dortmund, Elbphilharmonie Hamburg e Kölner Philharmonie.

O recital de canto do barítono Josep-Ramon Olivé tem lugar às 17:00. Acompanhado de Ian Tindale no piano, o jovem músico catalão interpreta um reportório com canções de Franz Schubert e Gustav Mahler, e também uma nova peça da sua compatriota, Raquel García-Tomás, encomendada por L’Auditori Barcelona, Palau de la Música Catalana.

Os concertos terminam às 19:00 com o quarteto de cordas Quatuor Arod, vencedor do primeiro prémio no prestigiado Concurso Internacional de Música da ARD, em Munique, no Concurso de Música de Câmara Carl Nielsen, em Copenhaga, e na Competição Europeia da FNAPEC, em Paris. Apresentado por BOZAR Brussels e Het Concertgebouw Amsterdam, o Quatuor Arod escolheu para este recital um quarteto de Mozart (K.458) e outro de Beethoven (nº9, Razumovsky).

A par dos concertos Rising Stars, que decorrem no Grande Auditório com entrada gratuita mediante levantamento de bilhete no próprio dia, serão exibidos o documentário “O Stradivarius Português” de Andrea Lupi e vídeos didácticos sobre os instrumentos da Orquestra Gulbenkian, no Auditório 3, também com entrada livre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.