Joana Amendoeira na Damaia: Pouco público mas uma boa noite de fados

arrowarrow


Joana Amendoeira apresentou ontem, 14 de Maio, no Cineteatro D. João V, o seu mais recente disco “Muito Depois”.

 

Perante um auditório muito despido de público, a fadista agigantou-se e proporcionou uma grande noite de fados. Apresentando o seu mais recente disco, produzido por Tiago Torres da Silva que assina também a maioria das letras do disco, Joana Amendoeira esteve com uma postura correcta, boa colocação de voz, afinada e mostrando que está uma fadista diferente. Na interpretação e no sentimento dado às palavras dos poetas.

 

 

“Com penas de ternura” foi escolhido para abrir o concerto que seguiu com “Teu Lindo nome” após o qual a fadista cumprimentou o público e se mostrou feliz por ali estar a actuar mesmo não tendo a sala esgotada.

 

 

“Por pressa de viver” e “P´ra mudar o rumo à vida” (um dos temas com a letra mais bonita deste eu novo disco), antecederam o tema que dá nome ao disco “Muito depois”.

 

 

Depois no Fado 3 Bairros interpretou “A vida como ela é”. Num concerto muito intimista em que Joana soube agarrar o público com uma interacção correcta e assertiva e um constante sorriso no rosto. Mas fez muito mais que isso, deu vida às letras dos poetas e fez-se acompanhar por músicos de grande valia artística.

 

 

“Lisboa de Madrugada”, “Regresso”, “Verdes campos, Verde vida”, “Jasmim”, “Marcha dos Centenários” (cantarolada pelo público), antecederam quanto a nós um dos melhores momentos da noite. “Passageira da Noite” foi antecedida por variações do Fado Lopes. Sublime.

 

 

Até ao final do espectáculo a fadista apresentou ainda mais alguns dos temas deste disco e fados tradicionais. Sempre correcta na postura em palco e na interpretação. Fez ainda um breve encore com “Loucura”.

 

 

Contudo e porque achamos a questão pertinente deixamo-la no ar: o público queixa-se que não pode ou não tem possibilidades de ir a espectáculos, contudo o de ontem tinha bilhetes a 10 euros, passatempos de ofertas de bilhetes em vários órgãos de comunicação social, um espaço com fácil acessibilidade de transportes, uma artista com 20 anos de carreira (!!!) e qual foi a resposta do público? Não compareceu. Muitos lugares vazios.

 

 

O público não se pode queixar da cultura que tem, porque nada faz para a valorizar…Lamentável que os artistas portugueses sejam mais aclamados internacionalmente (Joana Amendoeira este ano teve uma digressão por doze cidades austríacas com salas cheias e também Bélgica com salas cheias) do que em território nacional. Infelizmente Joana Amendoeira não é caso único em Portugal…

 

 

Em conversa com o Infocul, a fadista preferiu destacar o público “caloroso” que a acolheu e a aceitação que o seu disco tem tido, seja através da aquisição do mesmo ou até das mensagens que recebe via redes sociais ou email.

 

 

Importante ainda destacar a qualidade de som (algo habitual nesta sala que conta com excelentes condições) e o jogo de luzes. O som esteve ao cuidado de Maria João Castanheira e a luz de Fernando Baramba.

 

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6389 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.