João Caetano estreou-se a solo no Museu do Oriente

joao-caetano

 

O Canto-autor e compositor João Caetano apresentou-se pela primeira vez com o seu projecto a solo em Portugal, actuando no Museu do Oriente na noite de terça-feira, 13 de Dezembro.

 

 

João Caetano nasceu em Macau e desde pequeno sempre teve ligações à música portuguesa, desde o fado à musica tradicional. Neste EP com três temas que acaba de lançar e que antecipa o disco a sair em 2017, o músico efectua uma ponte entre o Ocidente e o Oriente, juntando o que de melhor as suas vivências lhe ofereceram.

 

 

Há sete anos que integra o conhecido grupo Incognito como percussionista, ele que sempre que gostou dessas sonoridades desde muito jovem, tendo também estudado violino no seu percurso académico.

 

 

No auditório do Museu do Oriente apresentou-se em palco acompanhado por Pedro Pires e Manuel Rocha na guitarra, Pity no baixo, André Silva na bateria, Ricardo Anastácio na viola e André Dias na guitarra portuguesa. A portugalidade e a percussão é a base da sonoridade e da musica de João Caetano às quais acrescenta sonoridades orientais  criando uma sonoridade que hipnotiza quem assiste e faz querer ouvir mais e mais.

 

joao-caetano2

 

Tempo houve ainda para uma homenagem à Aldeia de Lavacolhos e respectivos tambores originários de lá e que João Caetano usa, além  de ouvirmos Maria Emília Reis, fadista residente no Clube de Fado e que foi convidada a integrar este EP. Maria Emília Reis que tem um timbre vocal muito bonito e que emprega-se com profundidade e sentimento no que canta. Uma bonita surpresa.

 

 

 

Além de “O poema à minha cidade”, “Eterno farol” e “Vale do Rossio”, que integram o EP, João Caetano apresentou e interpretou “É tempo de mudança”, “Senhora da Nazaré”, “Cegueira” ou “Miragem”, num alinhamento bem definido, ritmado e com uma boa noção de espectáculo.

 

 

João Caetano promete ser uma as boas surpresas que 2017 trará à música portuguesa.

 

Fotografias: Alfredo Matos

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6660 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.