João Moura ficou sem a quinta onde foram encontrados os cães subnutridos, adianta a Sábado

Revista Sábado

A revista Sábado adianta, hoje, que a o BCP ficou com a Quinta de Santo António, de João Moura, desde o passado dia 18 de Julho.

Segundo esta publicação, “os portões de ferro estão fechados a cadeado. A vedação da quinta está cheia de buracos e o único ruído que se ouve é o de cães a ladrar. Mas os símbolos, partidos e enferrujados, não deixam dúvidas: aquela é a propriedade de João Moura, onde no último dia 19 as autoridades encontraram 18 cães subnutridos. Ou melhor, era a herdade de João Moura”.

Acrescenta que “desde o passado dia 18 de julho de 2019 que a Quinta de Santo António, em Monforte, Portalegre, pertence na realidade ao BCP. A herdade foi comprada pelo banco num processo de insolvência do cavaleiro tauromáquico pelo valor de 261 mil euros. De acordo com a escritura, consultada pela SÁBADO, o negócio serviu para cobrir a dívida do empréstimo, resultando também no cancelamento de inúmeras penhoras que pendiam sobre a propriedade: do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social (28 mil euros em 2010 e 25 mil euros em 2011), do próprio BCP (199 mil euros), da Fazenda Nacional (82 mil euros em 2012 e 381 mil euros em 2014) e da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Estremoz (cinco mil euros em 2013)”.

Do que era a quinta, que tem “13 parcelas de cultura arvense, logradouro, olival com solo subjacente de cultura arvense e dependência agrícola e casa de rés do chão e 1º andar para habitação”, João Moura ficou com pouco mais do que a arena de treino, as boxes dos cavalos e a zona onde ainda aloja os seus galgos, conta à SÁBADO João Duarte, um dos melhores amigos do cavaleiro, que assumiu a tarefa de o assessorar no âmbito deste caso”, revela ainda a Sábado.

A revista explica ainda que “dos 23 galgos que ainda ficaram na herdade, um deles foi avistado no último domingo pela SÁBADO, que visitou Monforte. De acordo com a Guarda Nacional Republicana (GNR), este será apenas um dos que ainda permanecem na herdade, mesmo após a apreensão de 18 galgos subnutridos e a detenção de João Moura por suspeitas de maus-tratos a animais.

A História será publicada na íntegra, na edição impressa do próximo sábado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.