José Cid e o álbum “10.000 anos depois entre Vénus e Marte”: “Este foi dos melhores…”

1982138_786112608094753_3383507243606678618_n 2

 

 

José Cid apresenta duas datas, únicas este ano, do espetáculo baseado no seu álbum de culto “10.000 anos depois entre Vénus e Marte”. Os concertos acontecem no dia 01 de Maio na Aula Magna em Lisboa e no dia 06 de Maio na Casa da Música no Porto.

 

 

Em entrevista ao Infocul, José Cid revela que “de há dois anos que não tocamos o álbum ao vivo. A última vez foi na Casa da Música completamente esgotada e nós tocámos sem uma falha. Vamos ter que ensaiar duas ou três vezes e quando chegarmos ao ensaio temos os temas bem sabidos. Será mais fácil. Em palco estarei com os mesmos músicos da casa da música.  Comigo  tenho mais dois teclistas , a secção ritmica, o guitarrista solista  e os “back vocals” .

 Jose Cid Capa Vinyl

 

Este disco foi durante muito tempo reconhecido internacionalmente, mas não tanto em termos nacionais. Algo que ultimamente mudou. Cid explica que “A Blitz nomeia-o o segundo melhor álbum de sempre da música portuguesa e o melhor do Rock Português e a Sputinick music (UK) nomeia entre os 5 melhores álbuns do mundo. Portugal já o redescobriu nas novas gerações e os japoneses estão a organizar uma digressão no Japão que pode ser a bola de neve”.

 

 

Este foi dos melhores, quero nomear ainda “Vida e sons do quotidiano” que vamos tocar no concerto. “Ode a Garcia Lorca” que não editado em Portugal e “Cais Sodré” o meu álbum jazzistico de 2001”, diz-nos quando questionado se este era o melhor álbum da sua carreira.

 

 

Venham deixar-se envolver pela história e pela música, num dos melhores álbuns mundiais escrito, cantado e tocado por um português. E não sou eu que o digo”, convida por entre gargalhadas, o público a ir a estes concertos únicos.

 

 

“10.000 anos depois entre Vénus e Marte” é o primeiro álbum de rock espacial português, baseado na ficção cientifica, conta com o Mellotron e os sintetizadores conferir uma sonoridade característica elevando assim o som base de guitarra, baixo e bateria originalmente criado por José Cid com Mike Sergeant, Ramon Galarza e Zé Nabo. Este disco foi aclamado pela critica e foi considerado pela revista Billboard como um dos melhores 100 discos de Rock Progressivo do mundo de todo o sempre.

 

Jose cid

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 23/03/2017

Tagged with:    

About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

_