“La forza del destino”, de Verdi, marca o regresso da ópera ao Coliseu Porto Ageas

O Coliseu Porto Ageas e o Teatro Nacional de São Carlos (TNSC) unem-se para apresentar, em co-produção, uma das composições mais ambiciosas de Giuseppe Verdi.

A soprano Julianna Di Giacomo e o tenor Kristian Benedikt assumem o par Leonora / Alvaro, numa história onde dramas pessoais intensos se desenrolam com a guerra como pano de fundo.

A Direcção musical é do maestro italiano Antonio Pirolli, com encenação de Sir David Pountney.

Poucas vezes a música de Verdi irrompeu com tanta força como nesta ópera de situações limite: canta-se a história de Don Alvaro e da sua paixão correspondida por Donna Leonora, filha do Marquês de Calatrava. Quando o Marquês recusa dar a mão da sua filha em casamento, as consequências são dramáticas e a tragédia toma conta dos seus destinos.

Os quatro actos da ópera encontram-se recheados de momentos em que o destino parece intervir de forma fulminante e mudar o rumo dos acontecimentos“, explica o musicólogo Pedro Russo Moreira no texto do programa. “La forza del destino apresenta várias diferenças quando comparada com as óperas anteriores de Verdi. Para o compositor, a ópera do futuro precisava de se libertar de uma estrutura rígida de cavatinas, duetos e afins, para caminhar para uma «ópera de ideias». O título da ópera é um passo nessa direção, assim como a sua organização interna, marcada pela força de acontecimentos inesperados, hiatos temporais e geográficos consideráveis que obrigam as personagens a recapitular a sua história.”

Verdi e Francesco Maria Piave basearam La forza del destino na peça dramática de Ángel de Saavedra, Don Alvaro, o la fuerza del sino. Juntos, criaram uma ópera em quatro actos marcante, quer na história e nos cenários, quer na orquestração.

A parceria entre o Coliseu Porto Ageas e o único teatro lírico do país tem, assim, uma importante continuidade, depois do enorme sucesso de La traviata, em 2018, que esgotou em Lisboa e Porto, e de Turandot, que em 2017 pôs fim a uma ausência de 33 anos do TNSC no Coliseu.

Os bilhetes custam entre 20€ e 50€.

Descontos: 20% Amigos Coliseu, 10% Crianças dos 6 aos 12 anos e maiores de 65 anos, 10% Estudantes de música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.