Ler e decifrar “A Ópera Chinesa” no Museu do Oriente

Ópera Chinesa_SE_visitas

 

A partir do dia 26 de Maio, o Museu do Oriente vai realizar visitas temáticas mensais (que finalizam em Dezembro) abordando o tema da ópera chinesa. Os enredos, os tipos de personagens, os códigos gestuais e simbologia das cores são algumas das chaves de leitura através das quais o Museu do Oriente propõe decifrar o universo da exposição “A Ópera Chinesa”.

 

 

Combinando a melodia dos instrumentos tradicionais chineses, canto, dança, acrobacias e artes marciais, a ópera chinesa destaca-se pela caracterização única das suas personagens e pela riqueza do seu repertório. De entre os diferentes tipos de óperas chinesas destaca-se a Ópera de Pequim, reconhecida pela UNESCO, em 2010, como Património Cultural Intangível da Humanidade e um dos tesouros a descobrir no Museu do Oriente.

 

 

A primeira visita vai ter lugar no dia 26 de Maio, às 17:00, e é dedicada aos enredos da Ópera Chinesa que integram as narrativas fundadoras da Ásia, tais como relatos históricos e mitológicos.

 

 

Segue-se no dia 30 de Junho, tendo em atenção os figurinos, as pinturas faciais, a caracterização dos actores, são importantes elementos para o reconhecimento do perfil das personagens que se dividem em 4 tipos que podem ser encontrados na Ópera Chinesa: Sheng (papel masculino), Dan (papel feminino), Jing (papel masculino com a cara pintada) e Chou (papel de palhaço masculino). 

 

 

A música, como as outras formas de arte, não escapou à censura durante o período da Revolução Cultural tendo sido, naturalmente, moldada à luz dos factores sociais e políticos desse contexto. A partir da Revolução Cultural, só se podiam exibir oito óperas de cariz revolucionário. A Música e a Revolução Cultural Chinesa serão a base da visita do dia 28 de Julho.

 

 

“Dicionário de cores na Ópera Chinesa” é o título da visita guiada do dia 29 de Setembro. A Ópera de Pequim difere, em muito, da ópera ocidental, designadamente, na extrema importância da cor em cena, desde o vestuário à maquilhagem. As cores do guarda-roupa determinam a caracterização social das personagens, além dos múltiplos adornos. A maquilhagem assume também um papel fulcral na caracterização minuciosa da personalidade do personagem, fazendo antever a sua personalidade.

 

 

Em comemoração do Dia Internacional da Música, que se comemora a 01 de Outubro, a orquestra da Ópera de Pequim estará no centro desta visita. A orquestra costuma estar à direita do palco e está dividida em duas partes: uma acompanha o canto (wenchang) que serve, sobretudo, para destacar as emoções e a outra (wuchang) acompanha a actuação, a recitação, a dança e a luta acrobática. O wuchang produz música que acompanha mudanças de cena e cria diferentes atmosferas de palco.

 

 

A penúltima visita acontece no dia 24 de Novembro. Uma particularidade da ópera chinesa é a gestualidade. Cada movimento tem um significado e assume importância fundamental na construção do enredo e expressão dos sentimentos e intenções das personagens. Gestos, emoções e músicas devem estar em harmonia. Os movimentos podem dividir-se em três categorias: Mímica; Danças; Entradas e Saídas. 

 

 

As visitas temáticas terminam no dia 15 de Dezembro. Maquilhagem, figurinos e adereços ajudam a compor as personagens, sendo essenciais para a sua identificação. Na Ópera de Pequim, trajes coloridos, muitas vezes ricamente bordados, identificam o tipo de personagem, o seu estatuto social e as características físicas. A maquilhagem ajuda a definir os tipos. Cada cor tem seu próprio significado.

 

 

As entradas para as visitas orientadas “A Ópera Chinesa” têm um custo de 5€ e não é necessária inscrição prévia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.