Loulé, no Algarve, é o concelho que acolhe este ano, entre 11 e 13 de Outubro, a grande festa do património, juntando especialistas e profissionais de Portugal e Espanha (que dinamizam a Bienal), de Marrocos (país convidado) e, pela primeira vez, de várias outras origens (Brasil, Holanda, Itália e Áustria), em 3 dias de troca de ideias e experiências sobre o património cultural.

Na edição deste ano, o tema a debate é a “Sustentabilidade” que não é mais do que o ADN no património cultural: renovando-se, reciclando-se, adaptando-se ao longo dos anos, sempre atendendo à sua preservação futura.

Loulé representa a maior edição de sempre da Bienal, tanto em dimensão, como em programação ou, ainda, no carácter internacional do evento – na continuação, aliás, do contínuo fortalecimento da Bienal.

Com a organização da Bienal pela primeira vez a Sul, a Bienal volta a sublinhar o contributo do recurso endógeno “património cultural” na promoção de desenvolvimento harmonioso do país, obrigando à deslocação até ao local onde este recurso se encontra, recordando que a edição portuguesa do evento é a única a nível europeu com carácter itinerante.

Por outro lado, Portugal volta a assumir um papel de relevo no que diz respeito a um renovado estender de pontes com países com os quais Portugal pode colaborar neste campo, como é o caso de Marrocos, país convidado desta edição e repositório de práticas culturais, de património edificado e de oportunidades que em tudo se relacionam com o universo do património português.

Ainda de realçar que a Bienal resulta de uma bem sucedida parceria entre instituições públicas e privadas: a Bienal tem por promotora do evento uma empresa de referência no sector – a Spira – agência de revitalização patrimonial –, sempre em parceria com o promotor do território onde o evento tem lugar – este ano, a Câmara Municipal de Loulé – bem como com o parceiro espanhol – a Junta de Castela e Leão; e um conjunto de entidades públicas com responsabilidades na área do Património Cultural, com destaque para três Ministérios (Cultura – DGPC; Economia – Turismo de Portugal; e Negócios Estrangeiros – AICEP), a Comissão Nacional da UNESCO, a Fundação Millennium Bcp – o maior mecenas do património cultural – e contando ainda com o continuado Alto Patrocínio de Presidente da República. A Bienal tem demonstrado ser uma receita de sucesso na medida em que criou e está a consolidar um acontecimento de referência no mundo do património que extravasa já a Península Ibérica e, mesmo, a Europa.

Este ano, à semelhança das edições anteriores, a Bienal contará com um Espaço Expositivo, com a presença de empresas e entidades nacionais e estrangeiras actuantes no sector; uma bateria de Seminários e Workshops dedicados à temática do Património; Programação Cultural com espectáculo de video-mapping, concertos, exposições, entre muitos outros; e várias actividades de Educação Patrimonial para Famílias e Escolas. Desta forma, o certame constitui uma fusão das dimensões profissional, de educação patrimonial e de programação cultural no mesmo evento, em simultâneo, aberto a todos e de acesso gratuito.

 

Programação Cultural

A programação da Bienal demonstra como o património cultural é um recurso endógeno multifacetado, atractivo para todas as idades e passível de ser experimentado praticamente em qualquer suporte e formato.

Música: os visitantes da Bienal poderão experimentar a música tradicional de Marrocos – país convidado – no espaço expositivo da Bienal, assistir ao Concerto de Nelson Conceição & Ensemble da Banda Filarmónica Artistas de Minerva, assim como ao Concerto de Rão Kyao e Convidados e, finalmente, a sonoridade da Orquestra de Jazz do Algarve.

Itinerários temáticos: propõe-se uma incursão nocturna ao património do concelho, junto ao mar – o Roteiro “Património ao luar” – e um Roteiro da Água pela serra louletana. A Universidade do Algarve, com os seus investigadores e docentes, leva a cabo 3 itinerários temáticos sobre património cultural e gastronómico.

Video-mapping: espectáculo na fachada do Mercado de Loulé com o tema da interculturalidade que marca o território.

Ateliers Criativos: oportunidades para aprender, “pondo as mãos na massa”, algumas das tradições culturais da região, tais como a arte do esgrafito, da pintura a fresco ou da confecção dos figos cheios – Atelier e Curso de Esgrafitos Decorativos, Atelier de Pintura a Fresco, Atelier de Figos Cheios. Acrescem ainda diversos Ateliers de artes e ofícios que estarão a decorrer em permanência, abertos a todos, no espaço expositivo da Bienal.

Exposições: “Em parte alguma”, exposição de fotografia dedicada à relação histórica, patrimonial e estética entre Portugal e Marrocos; “Somos Património”, recolha de depoimentos da população de todo o concelho de Loulé relativamente à sua percepção do conceito, do propósito e do futuro do património cultural.

Cerimónias: Inauguração Oficial da Bienal, Apresentação da Rede Europeia de Feiras do Património – Herifairs e, por fim, a Cerimónia de entrega do Prémio do Público – Internacionalização do Património.

Na noite de sábado, mediante convite e destinada aos profissionais, empresas e instituições, decorrerá a Festa do Património.

Educação Patrimonial

A Bienal tem vindo a reforçar a Educação Patrimonial antes, durante e após os dias do evento, através da parceria com a Associação Mundo Património. O projecto “Empreita-te!” começou pelas escolas de Loulé. Durante o ano lectivo transacto, destinou-se aos alunos do 3º ano de todo o agrupamento escolar do concelho, procurando divulgar a técnica tradicional regional da empreita e fazendo-o simultaneamente numa perspectiva da valorização da inter-geracionalidade e sublinhando a inteligência da utilização deste recurso do ponto de vista da sustentabilidade do território. Durante a Bienal, os resultados deste projecto pedagógico estarão reunidos numa exposição.

Em regime contínuo, decorrerão actividades de Educação Patrimonial e ateliers de artes e ofícios para todos os visitantes mais novos e para as escolas de Loulé.

A Roda da Empreita, montada no Convento do Espírito Santo, sintetizará e simbolizará tudo o que se pretende atingir com a programação de Educação Patrimonial da Bienal: aproximar, questionar, experimentar, misturar saberes, vontades e tempos em espaços abertos, belos, de todos e para todos.

Seminários

A Bienal promove 5 seminários temáticos e ainda uma bateria de apresentações técnicas por parte dos expositores no evento.

As International Heritage Talks “Artes & Ofícios como Prática de Sustentabilidade em Património Cultural” debatem o fundamental tema dos saberes artesanais ainda existentes em Portugal e promovem esse debate à escala internacional.

As Guest Country Talks “Património Cultural em(ntre) Marrocos e Portugal: um activo de futuro”, dedicadas ao país convidado da edição deste ano da Bienal, procuram perceber o estado da arte, as circunstâncias políticas, diplomáticas e económicas de um enquadramento de cooperação em matéria de património cultural entre Portugal e Marrocos.

As Tourism Talks “Património, Turismo, Sustentabilidade e Inovação” promovidas pelo Turismo de Portugal enquadram-se no tema da edição deste ano da Bienal – a Sustentabilidade – dedicando-se assim ao debate de inovadoras e maleáveis formas de gestão no sector do património cultural, desde o turismo à acessibilidade;

As Conservation & Restoration Talks “Reabilitar: uma dimensão incontornável da intervenção patrimonial?” dedicam-se à problemática da crescente prática de reabilitação urbana evidente nas cidades de Portugal e Espanha e à definição do papel da Conservação e Restauro nesse processo.

Paralelamente, mais de duas dezenas de apresentações técnicas de projectos dos expositores da Bienal no Innovation Point, a decorrer em permanência no espaço expositivo do evento. Destaque ainda para as Jornadas Espanholas do Património Cultural que trazem ao debate temas comuns aos dois países.

Locais e Horários

– Sexta-feira e Sábado: das 11:00 às 23:00

– domingo: das 11:00 às 18:00

Locais:

– Espaço público junto ao Monumento Engº. Duarte Pacheco

– Centro de Experimentação e Criação Artística de Loulé (CECAL)

– Palácio Gama Lobo, Solar da Música Nova

– Cine-Teatro Louletano

– Convento do Espírito Santo e

– Mercado Municipal

– Os diversos roteiros culturais inscritos na programação estender-se-ão para fora da cidade, às restantes freguesias do concelho de Loulé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.