Luís de Matos fará o “Impossível” no Teatro Tivoli BBVA com convidados de craveira internacional (C/Som)

 

 

O Sótão do Teatro Tivoli BBVA em Lisboa, recebeu esta terça-feira, 26 de Junho, a apresentação de “Impossível”, o novo espectáculo que Luís de Matos trará à capital em Dezembro.

 

Neste espectáculo, Luís de Matos estará acompanhado em palco por Joana Almeida, bailarina, assistente e única confidente de todos os truques, e pelos Momentum Crew, campeões mundiais de break-dance. Mas os convidados não se ficam por aqui, pois terá ainda, da Coreia Sul, estará Yu Hojin, o sul coreano que se está a tornar um símbolo nacional e cujo percurso é marcado pelos títulos de campeão do mundo na modalidade de manipulação no FISM World Championships of Magic e Mágico do Ano, atribuído pela Academia de Artes Mágicas de Hollywood. Aaron Crow, o “Mentalista Silencioso” que chega da Bélgica e cuja actuação é marcada pelo suspense, e com a surpresa como palavra de ordem. Por fim, os portugueses Tá na Manga, uma dupla de ilusionistas unidos pelo amor ao teatro e música, premiados em vários festivais internacionais, nomeadamente no “FISM World Championship of Magic” em 2012.

 

Na conferência de imprensa, Luís de Matos contou com Paulo Dias, director da UAU, e os Tá na Manga, a seu lado e ainda com Aaron Crow e Yu Hojin a interagire através de videoconferência.

 

 

Em declarações ao Infocul, Paulo Dias, referiu que “acima de tudo, o trabalho da junção artística é inteiramente do Luís de Matos, a única coisa que eu tenho feito com o Luís são os desafios permanentes, a mantermo-nos juntos em alguns projectos, em algumas alturas do ano, algumas vezes com interregnos, mas agora já vamos para o terceiro ano consecutivo em que trazemos a magia aqui ao Tivoli e portanto, é com grande satisfação, acima de tudo porque vamos aqui juntar um conjunto de pessoas que nunca estiveram juntas em Portugal, vão apresentar um conjunto de projectos que nunca foram vistos por portugueses e é este conjunto de coisas que vai tornar o espectáculo verdadeiramente diferente e em que nós vamos sair daqui e dizer como é possível eles terem feito aqui o que fizeram”.

 

Questionado se um espectáculo de magia seria algo fácil de vender ao público, disse que “os espectáculos são todos fáceis de vender quando a qualidade é muita e quando são projectos com nomes interessantes, com cartas dadas já no nosso panorama artístico e aqui não existem dúvidas basta começar a olhar para o currículo das pessoas envolvidas para se perceber que isto vai ser uma super produção”.

 

Uma das novidades anunciadas serão os espectáculos já marcados para as crianças, com as escolas em destaque, e quando questionado se esta era uma forma de formar já o seu futuro público, o produtor disse que “ao longo destes anos tentamos manter um bocadinho (…) nós não temos um publico especifico exclusivamente para a terceira idade, também não trabalhamos exclusivamente para as escolas, todos os nosso projectos são divididos e acabam por abranger todo o tipo de idades, nos sempre nos incluímos muito no entretenimento familiar”.

 

 

 

Luís de Matos foi também entrevistado pelo Infocul e esclareceu que “é um conjunto de circunstâncias que seria impossível de determinar se alguém quisesse fazer este projecto por medida. Este é um projecto altamente orgânico, no seu nascimento, na forma como cresceu e na maneira como vai acontecer e é isso que o torna único. É orgânico porque ao longo dos anos 2016 e 2017 em que eu tive o privilegio de passar o natal aqui no Tivoli BBVA eu percebi que havia um público que era reincidente e que vinha, e que gostava e que aplaudia de pé largos minutos no final, e eu próprio não tinha essa consciência e em conversa com o Paulo Dias, da UAU e proprietário do Tivoli, questionávamos de que maneira podíamos ir ao encontro destas pessoas que já nos estavam a dar o seu tempo, a sua atenção”, acrescentando que “este projecto nasce também como uma consequência natural da série que eu fiz para a RTP o ano passado, onde nós também fizemos o impossível, mais do que o nome foi fazer o impossível porque foi a primeira série de magia num part-time de uma estação, que sendo magia foi feito em directo e foi feito em directo porque eu acho que é importante renovar este pacto com o espectador, porque o espectador deixou de acreditar na magia que vê na televisão, porque é sempre tudo muito perfeito, tudo muito editado e esta preguiça em que produtores e mágicos caíram, fez com que as pessoas desligassem e hoje em dia as pessoas não gostam de ver magia na televisão”.

 

 

 

Luís de Matos e os seus convidados farão o “Impossível” de 12 de Dezembro a 1 de Janeiro. Os bilhetes custam entre 10 e 24 euros e já podem ser adquiridos.

 

Fotografia: Ana Dias

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 27/06/2018


About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

_