Mafalda Veiga apresenta “Praia” em Lisboa e Porto

Mafalda Veiga

 

Mafalda Veiga apresenta o seu mais recente trabalho, “Praia” ao vivo em Lisboa e no Porto, respetivamente no Tivoli BBVA no dia 4 de março e na Casa da Música, na Sala Suggia, no dia 8 de março.

 

 

“Praia” é também um espetáculo em que (quase) tudo se renova: nova banda, novo alinhamento, novas canções e novo projeto de luz, palco e som, num trabalho conjunto com a equipa de estrada, produção e técnica que conhece bem a artista e a acompanha de perto neste momento especial.

 

 

Já a partir destes concertos, “Praia” ao vivo, integra também um projeto de vídeo com pequenos filmes inéditos realizados pela artista.

 

 

 

O disco novo é tocado na íntegra, mas o público pode também contar com as canções mais emblemáticas e incontornáveis da Mafalda Veiga. Estas também estão no alinhamento para estes dois concertos e para os demais que se seguirão ao longo de 2017, mas com arranjos que se aproximam da sonoridade deste mais recente trabalho.

 

 

 

Alguns dos músicos que gravaram o disco e que são de universos musicais como Orelha Negra e Zen, entre tantos outros, estão agora com Mafalda Veiga – voz, guitarra acústica, elétrica, melódica e teclado – também em palco. São eles:

 

 

Fred – bateria e percussão

Marco Nunes – guitarra elétrica

Miguel Barros – baixo

Ricardo Riquier – guitarra elétrica, guitarra acústica e voz

Diogo de Almeida Ribeiro – piano, teclados, guitarra acústica, percussão e voz

 

 

 

Sobre o espetáculo, Mafalda Veiga conta-nos:

É um espetáculo mais “solto” e mais direto, com o mesmo conceito que definiu a produção do disco “Praia”, em que quero transportar para o palco a liberdade com que componho e ensaio. Essa atitude tem uma grande energia, e essa foi a intenção que me levou a convidar estes músicos que integram a minha nova banda.                  

Neste espetáculo toco outros instrumentos para além da guitarra, tal como faço ao compor, e todos os músicos colaboram nesse sentido, de forma a criar ambientes que servem o que queremos transmitir em cada canção. O Diogo ( piano) toca percussão ou guitarra nalguns temas, assim como o Riquier ( guitarra) tocará teclado noutros, e essa abertura torna o espetáculo mais orgânico e mais rico musicalmente.”

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6327 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.