Martin Zimmermann apresenta “Hallo” no Centro Cultural Vila Flor

Martin Zimmermann

 

O extraordinário universo surreal de Martin Zimmermann chega ao palco do Centro Cultural Vila Flor este sábado, dia 18 de março, às 22h00. Com assinatura do reputado criador de novo circo, “Hallo” é o único projeto em que se apresenta a solo na sua já longa carreira. A contar mais de 20 anos em cima dos palcos, o artista suíço cria uma linguagem única para exprimir o seu mundo interior, com uma forte carga surrealista a partir da qual cria universos fascinantes. Dança, teatro e magia fundem-se num espetáculo incrível, que promete deixar a plateia siderada.

 

 

 

Martin Zimmermann é um artista do movimento, um brincalhão fervoroso, um palhaço frenético. Contando com uma extensa carreira de 20 anos, ao longo da qual trabalhou em colaboração com Dimitri de Perrot, o artista criou, em 2014, o seu primeiro (e até agora único) espetáculo a solo, com o qual tem percorrido o mundo com grande sucesso. “Hallo” é um espetáculo fascinante, cheio de imprevistos, capaz de fazer a plateia suster a respiração ou rir às gargalhadas. Uma tentativa de purgar os pensamentos absurdos que carregamos, na esperança de obter algum controlo sobre os aspetos mais bizarros que nos assaltam.

 

 

 

“Hallo” é uma sequência de acidentes à espera de acontecer. Uma peça em que o cenário ganha vida expondo a personagem às situações mais inusitadas. Nesta criação, Zimmermann brinca com as várias personalidades que habitam dentro de nós e reflete sobre isso num espetáculo cheio de humor e inteligência. Porque às vezes não nos devemos levar demasiado a sério.

 

 

 

Como base criativa para este espetáculo, Martin Zimmermann escolheu uma estrutura quadrada, que pode parecer uma vitrina que nos exibe esta figura tragicómica. A vitrina como uma alusão à aparência, ao duelo interior entre o que parecemos e o que somos. A estrutura, aparentemente estática, revela-se bastante mais dinâmica e muito mais frágil do que aparenta. O artista tenta adaptar-se a um mundo de aparências cada vez mais fora do controlo. Os objetos ganham vida e voam sobre a sua cabeça, a magia flutua pelo espaço, esbatendo a fronteira entre ficção e realidade.

 

 

 

Apesar da longa carreira de Martin Zimmermann, sentimos em “Hallo” que o amor pela interpretação é o mesmo dos primeiros trabalhos. A entrega e a precisão são totais. Neste enigma de caos que é “Hallo”, Zimmermann continua a tentar desbravar caminhos novos e explorar circunstâncias surreais. Ele perde o tato com a realidade, confunde-se com o seu próprio reflexo projetado num espelho, desdobra-se para se transformar em mais um adereço no palco. O corpo desgastado de Zimmermann desenvolve uma linguagem diferente, mais urgente. O artista, preso ao seu próprio feitiço e à sua paixão desenfreada, quase surta e é salvo apenas pelo seu humor fora da caixa.

 

 

 

Os bilhetes para o espetáculo podem ser adquiridos nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor e da Plataforma das Artes e da Criatividade, bem como nas lojas Fnac e El Corte Inglês, entre outros pontos de vendas, e na internet em www.ccvf.pt e oficina.bol.pt.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6768 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.