fado mercado

 

 

O Mercado da Vila de Cascais celebra 65 anos, no dia 11 de Agosto, com noite de Fado em homenagem a Carlos Zel. A partir das 22:00, várias vozes reconhecidas do Fado português vão juntar-se numa noite memorável para homenagear Carlos Zel, fadista de Cascais que fez ouvir a sua voz durante várias décadas, interpretando temas que juntam tradição e contemporaneidade num estilo muito seu.

 

 

 

“Meu amor morre no mar”, “Sonho louco”, “Palavra à solta” e “Fado Pechincha” são apenas alguns dos temas popularizados por Carlos Zel, que levou o seu vasto repertório não apenas a todo o país, mas também além-fronteiras. Chegou inclusivamente a pisar o palco para dar música a peças de teatro de revista.

 

 

 

Com a arte inconfundível de Mário Pacheco na Guitarra Portuguesa, Celeste Rodrigues, João Braga, Mafalda Arnauth, Pedro Moutinho, Joana Amendoeira, José da Câmara e Carlos Leitão serão os protagonistas deste serão de Fado, que promete ser único e levar emoções fortes à plateia, numa noite que assinala o 65º aniversário do Mercado da Vila, em Cascais.

 

 

 

O espectáculo é de entrada livre e contará com a actuação de oito artistas portugueses. A CP associa-se ao Mercado da Vila neste evento e será possível os visitantes fazerem a viagem de ida e volta ao Fado no Mercado de comboio pelas linhas de Cascais, Sintra/Azambuja e Sado pelo preço de 2€.

 

 

 

A vasta oferta gastronómica do Mercado da Vila faz deste um programa perfeito para começar o fim-de-semana.

3 thoughts on “Mercado da Vila de Cascais celebra 65 anos com noite de fado

  • Avatar

    Agora é fado em todo os cartazes e palcos; e tal como qualquer um acha que canta fado, também qualquer um acha que sabe e pode escrever sobre fado.

    Reply
  • Avatar

    Agora é fado em todo os cartazes e palcos; e tal como qualquer um acha que canta fado, também qualquer um acha que sabe e pode escrever sobre fado. O Carlos Zel era um grande intérprete!

    Reply
  • Avatar

    Concordo em absoluto com o João Souza; qualquer um canta e escreve sobre o fado. O Carlos Zel merecia melhor, sempre pugnou pelo melhor para o fado.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.