Mértola recebe exposição “Partilhando territórios: o regresso do lince”

 

 

Será inaugurada esta quinta-feira, 21 de fevereiro, em Mértola, a exposição “Partilhando territórios: o regresso do lince”, apresentada pelo ICNF e que ficará em exibição ao público na sede do Parque Natural do Vale do Guadiana.

A inauguração, que conta com a presença da Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Célia Ramos, antecede a solta de dois linces, integrada no processo de reintrodução da espécie no Vale do Guadiana.

A exposição tem como objectivos retratar a coexistência entre o lince-ibérico e os humanos, no passado e no presente, apresentando aspectos da história da espécie, da preparação da reintrodução bem como da actual distribuição dos animais fundadores e os encontros dos que vivem, trabalham ou visitam o concelho de Mértola com os mesmos. Algumas imagens inéditas das libertações e aspectos dos bastidores dos preparativos técnicos ficam agora disponíveis, numa aplicação multimédia bilingue, que o visitante poderá explorar.

A solta dos dois linces, um macho e uma fêmea com cerca de onze meses de idade, oriundos do Centro Nacional de Reprodução em Cativeiro em Silves (CNRLI), e do Centro La Granadilla em Espanha, realiza-se na Herdade da Bombeira, concelho de Mértola. Este reforço populacional regular que tem acontecido ao longo dos quatro anos de reintrodução, tem como objectivo restabelecer uma população selvagem autónoma, garantindo também uma diversidade genética adequada.

O lince-ibérico é um dos felinos selvagens mais ameaçados do mundo, que tem tido uma atenção particular da comunidade internacional e que o tornou um dos predadores mais carismáticos. Graças ao projecto “Recuperação da Distribuição Histórica do Lince-Ibérico (Lynx pardinus) em Espanha e Portugal (LIFE+10/NAT/ES/000570 – Iberlince), em cujo âmbito esta exposição foi prevista, concebida e produzida e ao apoio da Comissão Europeia e de múltiplos parceiros, a recuperação da espécie tem sido possível, associada a uma crescente valorização dos territórios onde ocorre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.