Miguel Angelo

 

 

Qual o papel da canção? Ainda terá um papel relevante na era Nobel de Dylan?

 

 

Que canções fazem falta hoje em dia? Que referências anti-sistema e progressistas se podem ainda considerar revolucionárias? Que livros ainda nos inspiram para ir mais longe e fazer diferente?

 

A CANÇÃO de Miguel Angelo é apresentada hoje e é apenas uma canção. Mas uma canção que ao falar das utopias e das consequentes desilusões na passagem do estado de jovem para adulto – com um name dropping nunca antes visto num refrão pop! – nos convida a dançar sobre literatura. É uma canção da e para a nova Estação.

 

A Biblioteca de São Lázaro é a biblioteca municipal mais antiga da cidade de Lisboa.

 

Foi no seu salão nobre que Edgar Keats realizou o vídeo de A CANÇÃO com a participação do agitador poético moderno-dadaísta Leo Lonel, numa dança dandy de heterónimos libertinos.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6768 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.