Misia@CCB-0954

 

O Grande Auditório do Centro Cultural de Belém acolheu ontem mais um espectáculo do Ciclo Há Fado no Cais, intitulado “Mísia e os Poetas”.

 

 

A cumprir 25 anos de carreira, a fadista Mísia tem feito um percurso muito particular no Fado, destacando-se o bom gosto na escolha de repertório, a sensibilidade dos poetas e escritores que colaboram com a artista e ainda uma interpretação peculiar, goste-se ou não do estilo.

 

E se em termos nacionais são poucos os espectáculos em que o público pode ouvi-la, Mísia internacionalmente já pisou as maiores salas de espectáculo como Teatro La Fenice em Veneza, Opera House de Cracóvia, entre muitas e muitas outras.

 Misia@CCB-0930

 

Misia@CCB-0936

 

Neste espectáculo trazido ao palco do Centro Cultural de Belém, que foi gravado pela RTP para emissão posterior, Mísia ao mesmo tempo que ia falando dos seus poetas e dos temas que trazia no alinhamento, falava também com o público sobre pequenas curiosidades/estórias da sua ligação a esses mesmos poetas/escritores.

 

Iniciou o espectáculo com Fado Adivinha de José Saramago, seguindo depois para Fado do Lugar Comum de Vasco Graça Moura, Dança de Mágoas de Fernando Pessoa, Fado da Rua da Bica de Paulo José Miranda, antes de efectuar uma rapsódia em que juntou poemas de várias poetas.

 Misia@CCB-0971

 

Misia@CCB-0977

 

De Lídia Jorge trouxe Tarde passando depois também por poemas muito bonitos de Florbela Espanca ou Rosa Lobato de Faria antes de um pequeno intervalo.

 

 

Abriu a segunda parte com “Tive um coração perdi-o” de Amália Rodrigues “a maior fadista de todos os tempos”, como referiu logo no inicio do espectáculo.

 

 

 

Nesta segunda parte do espectáculo contou com uma convidada de luxo em palco: Adriana Calcanhotto que trouxe toda a sua qualidade interpretativa, vocal, uma verdadeira transmissora de emoções.

 

 

Mísia marcou assim o seu regresso às salas lisboetas com um espectáculo dedicado aos seus poetas, a quem agradece a pessoa e artista que hoje é.

 

 

Ao longo destes 25 anos de carreira conta com mais de uma dezena de discos editados:  “Mísia” (1991), “Mísia Fado” (1993), “Tanto Menos Tanto Mais” (1995), “Garras dos Sentidos” (1998), “Paixões Diagonais” (1999), “Ritual” (2001), “Canto” (2003), “Drama Box” (2005), “Ruas” (2009),”Senhora da Noite” (2011), “Delikatessen Café Concerto” (2013), “Para Amália” (2015) e “Do Primeiro Fado ao Último Tango” (2016). 

 

 

Mísia foi acompanhada por Luís Guerreiro na guitarra portuguesa, Daniel Pinto na viola de fado, Frederico Gato no baixo, Ricardo Dias no piano e acordeão, Fabrizio Romano no piano e Luís Cunha no violino.

Misia@CCB-0923

 

Misia@CCB-0925

 

Misia@CCB-0937

 

Misia@CCB-0941

 

Misia@CCB-0959

 

Misia@CCB-0974

 

Misia@CCB-0985

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6225 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.