A corrida dos matadores, na Praça de Touros Daniel do Nascimento na Moira,  veio, principalmente, mostrar o momento tecnicamente forte que Joaquim Ribeiro Cuqui está a atravessar. 

Com o Palha premiado com volta à arena, Cuqui mostrou a classe e elegância do seu toureio. Cuqui iniciou de joelhos no chão, lanceando à verónica de joelhos no chão e depois por largas afaroladas. 

O matador moitense deu tudo de si, para mostrar as certezas da sua qualidade! Com a muleta conseguiu aproveitar por ambos os pitons a bravura do oponente. O toureio em redondo foi frequente! O temple e a ligação foi visto e aplaudido pelo público da Daniel do Nascimento.

Como o quinto da ordem partiu um piton ao embater no burladero com violência, Cuqui toureou em último lugar o sobrero. Desta lide a entrega do matador foi enorme, mas foi sem efeito por falta de bravura do último Palha da Noite. Não recebeu música nem volta autorizada

Da mesma atuação destaca-se a execução, no tércio de bandarilhas, da quadrilha do matador, com Cláudio Miguel e Jorge Alegrias a agradecer de montera na mão.

 

Nuno Casquinha, o mais antigo matador do cartel, foi o mais prejudicado pelo lote de touros em sorte.  Toureou o primeiro e o quarto touro Palha da noite com entrega mas sem ter matéria. Com o Palha que abriu a noite teve a tarefa dificultada mas ainda assim impôs ofício, para conseguir um par de series pela direita. Na sua última actuação, a tarefa tornou-se mais difícil, pela ausência de nobreza do oponente invalidando-lhe a volta à arena. Desta noite valeu a desenvoltura de Casquinha nas bandarilhas, para este mostrar ao público um pouco do seu conceito de toureio.

 

João Silva “El Juanito” repetiu a presença na Moita. O primeiro oponente saiu brusco no capote. Foi na muleta, devido ao empenho do matador, que este conseguiu retirar do Palha boas series de naturais e bonitos desplantes. O seguinte do seu lote foi manso. Pouco mais foi possível do que lancear de capote. Não escutou música nesta faena, nem teve volta autorizada.

Dirigiu corretamente o director Tiago Tavares assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva.

 

Texto: Sónia Batista
Fotografias: Diogo Nora

Sónia Batista

Sónia Batista iniciou a sua formação na escrita taurina na revista luso-espanhola Ruedo Ibérico em 2004 e desde aí procurou formação na área, em Portugal e Espanha. Ao longo dos anos colaborou com quase toda a imprensa taurina nacional e tem-se especializado na imprensa taurina internacional. Iniciou o seu percurso internacional no burladero.com em 2010, passando por vários órgãos de imprensa espanhóis até chegar em 2013 à prestigiada revista 6TOROS6, a qual considera a maior escola da escrita taurina.

Sónia Batista has 24 posts and counting. See all posts by Sónia Batista

Sónia Batista

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.