Montijo vence concurso de pegas mas Aposento do Barreto Verde sai pela porta grande do Campo Pequeno

helio lopes

 

 

A Praça de Touros do Campo Pequeno acolheu esta quinta-feira, 3 de Agosto, a Corrida do Emigrante. Compunham o cartel, os cavaleiros Rui Fernandes, Filipe Gonçalves e Francisco Palha. Os Grupos de forcados Amadores do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, Montijo e São Mansos disputavam o prémio para melhor pega, perante reses da ganadaria de David Ribeiro Telles.

 

 

 

O tauródromo lisboeta esteve longe de esgotar e voltou a contar com forte presença (entre os espectadores que foram ao espectáculo) de público estrangeiro.

 

 

 

Rui Fernandes abriu as lides numa noite de verão em Lisboa e esteve em plano crescente. Perante um touro que não transmitiu emoção alguma, coube ao ginete colocar emoção a dobrar e com uma lide em terrenos curtos e a apostar na ligação ao público para cravar bons ferros. Não deu para mais, faltou touro. Pegou à primeira tentativa, pelos amadores do Montijo, o forcado Hélio Lopes.

 

 

 

Filipe Gonçalves teve mais sorte que o seu antecessor e contou com um touro colaborante, contudo o cavaleiro não esteve nos seus melhores dias Actuação com demasiados altos e baixos.  Se por um lado esteve bem na brega, esteve demasiado irregular nas batidas ao piton contrário antes da cravagem dos ferros, o que obrigou a algumas passagens em falso. Pode fazer muito melhor, tem capacidades para muito mais, ainda para mais quando o seu oponente tinha características que beneficiavam o toureio que tanto gosta de praticar. Pegou à primeira tentativa, pelos amadores do Aposento do Barrete Verde, o forcado  Marcelo Loia.

 

 

 

Sem grandes alaridos e com qualidade, esteve o cavaleiro Francisco Palha. Bem nos compridos, subiu o nível da actuação nos curtos. Soube estar em praça e toureou, sendo que podia e devia ter tido mais reconhecimento de um público pouco entendido. Pegou à primeira tentativa, pelos amadores de São Manços, João Fortunato.

 

 

 

Rui Fernandes esteve em muito bom plano no quarto touro da noite. Tremendo, com uma ligação ao público, apoiado nos balanceados da sua montada em antecipação à cravagem dos curtos, soube deixar ferros de enorme valia. O público esteve com ele, na melhor lide da noite. Rui Fernandes é arte, técnica, emoção e uma ligação constante às bancadas. Pegou à segunda tentativa, pelos amadores do Montijo, o forcado José Pedro.

 

 

 

Filipe Gonçalves subiu o nível da sua actuação, quando comparado ao primeiro touro lidado, no quinto da noite. Competente nos compridos, esteve melhor nos curtos com ferros cravados com forte batida ao piton contrário, recebendo fortes ovações. Terminou com um ferro em sorte de violino, montando o Xique, o cavalo que bate palmas. Pegou à segunda tentativa, pelo Aposento do Barrete Verde, Diogo Amaro, num ‘pegão’ que colocou o público de pé!

 

 

 

Francisco Palha fechou as lides, no que a esta noite diz respeito, com uma actuação em que nem tudo correu bem, mas onde se destacam alguns ferros muito bem cravados. Jorge Valadas, pelos amadores de São Manços, pegou à primeira tentativa.

 

 

 

O prémio para a melhor pega foi atribuído a Hélio Lopes, dos Amadores do Montijo. O júri foi composto por Real Grupo Tauromáquico Português, António Alfacinha e Amorim Ribeiro Lopes.

 

 

 

Foi ainda anunciado no sistema sonoro da praça que o forcado Diogo Amaro, e respectivo grupo do Barrete Verde, sairiam pela porta grande após o forcado ter dado 3 voltas. Contudo, e sendo factual, o forcado deu apenas duas voltas e meia à arena.

 

 

Fotografia: Campo Pequeno

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.