A Praça de Touros do Sítio da Nazaré recebeu este sábado a corrida de exaltação à mulher (toureira).

Frente a touros da ganadaria Passanha actuaram as cavaleiras Sónia Matias, Ana Batista, Ana Rita, Cláudia, Verónica Cabaço e Soraia Costa. Pegaram os Forcados Amadores de Ribatejo, Portalegre e Caldas de Rainha.

Lides

A mais antiga cavaleira de alternativa em cartel enfrentou o mais pesado touro do lote da ganadaria Passanha, para esta noite. Sónia Matias recebeu o touro sem intervenção da sua quadrilha e perante oponente que saiu com ‘muita pata’ acabou por levar mesmo dois fortes toques na montada. O touro em vários momentos demonstrou pouca força nas patas dianteiras, mas permitindo boa lide da cavaleira. Depois de dois compridos regulares, a cavaleira ‘encastou-se’ e desenvolveu lide em tom triunfal. A preparar bem as sortes, desenhando-as de frente, abrindo ligeiramente quarteio e cravando segundo as regras de bem tourear. Uma lide na qual demonstrou ligação com o público e qualidade na arena. A partir do segundo curto, soltou o laço que lhe prendia o cabelo e desenvolveu a actuação com os longos cabelos louros esvoaçando ao ritmo da brisa da Nazaré, num bonito pormenor feminino.

Ana Batista, em temporada com lides de grande quilate, enfrentou, na Nazaré, rés com 560 Kg. E numa das praças com público mais entusiasta, Ana voltou a estar bem. Ultrapassada a ferragem comprida, regular, foi na curta, e já montando o Conquistador, que deu nas vistas com 3 curtos de pura arte. Preparação, citar, desenho da sorte, reunião bem feita e a rematar a preceito. Saiu no apogeu da lide. Por diante teve oponente com boa apresentação, com mobilidade.

Ana Rita, que por terras espanholas tem triunfado, começou a lide em plano morno e sem destaque na cravagem comprida. Na curta esteve em relação de amor com o público da Nazaré. Com uma postura extravagante e vibrante foi desenvolvendo uma lide com alguns adornos, como deitando-se na montada enquanto se dobrava com o touro ou colocando a montada em ‘levada’ agradecendo ao público. Pelo meio dois bons ferros foram o maior destaque numa actuação cheia de alegria, frente a um touro sem grande transmissão mas com mobilidade e permitiu à cavaleira estar a gosto.

Cláudia, trajando casaca verde bordada a ouro, teve por diante touro que desde cedo, a partir dos três compridos, demonstrou crença em tábuas, dificultando o labor da cavaleira, obrigando a intervenção acentuada da quadrilha.

Verónica Cabaço teve por diante exemplar com bonita apresentação e teve uma actuação, também, positiva mas sem triunfar. Dois bons curtos foram o maior destaque, culminando ainda com um violino de boa nota.

Coube a Soraia Costa encerrar a corrida. O touro saiu à arena com pata e acabou mesmo por saltar a trincheira criando furor entre os que lá se encontravam. De regresso à arena, não foi franco e colocou dificuldades à cavaleira nortenha que nem sempre as resolveu da melhor forma. Um bom ferro numa actuação de muito alarde e comunicação com o público.

Pegas

Ribatejo: Frente ao primeiro touro da corrida foi cara Nuno Amaro. Após quatro tentativas de caras sem sucesso e mais umas quantas de cernelha, esgotando todo o tempo permitido pelo regulamento tauromáquico, e com consentimento da direcção de corrida, o grupo tenta pegar de caras e carregando a sorte. O forcado da cara sofre derrote e é o segundo ajuda quem fica na cara do touro. Não considero, respeitando as regras da tauromaquia e do regulamento, como pega concretizada.

Pedro Espinheira, Cabo do grupo, pegou o quarto touro da corrida ao primeiro intento numa boa execução.

Portalegre: Frente ao segundo touro da noite, e após duas tentativas sem sucesso por Rui Pombo (que saiu combalido), foi Ricardo Almeida a pegar, à quarta tentativa do grupo.

Marco Raimundo pegou ao primeiro intento, o quinto touro da corrida.

Caldas da Rainha: Francisco Esteves (segunda tentativa);

O último touro da corrida não foi pegado. Na primeira tentativa, a a cargo de Duarte Palha, o touro partiu a córnea e desembolou-se, sendo de imediato mandado recolher, conforme exige regulamento tauromáquico.

Direcção de Corrida

A corrida foi dirigida por Ana Pimenta, assessorada pela veterinária Ana Gomes.

A directora de corrida esteve francamente mal aquando da primeira pega da noite. Deveria ter cumprido o regulamento no que ao tempo para a pega diz respeito. No restante esteve acertada.

Lotação

Aproximadamente três quartos de lotação preenchidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.