Museu do Fado inaugurou Oficina da Guitarra e prestou homenagem aos “grandes construtores”, Gilberto Grácio e Óscar Cardoso

 

 

O Museu do Fado, em Lisboa, inaugurou hoje a Oficina da Guitarra, sita no bairro de Alfama. Duas actuações, de orquestras, lideradas por Pedro de Castro e Paulo Soares, respectivamente, integraram o programa de abertura, na qual marcou presença o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, a presidente da EGEAC, Joana Cardoso, e a Directora do Museu do Fado, Sara Pereira, entre outras entidades.

A oficina da Guitarra está, a partir de hoje, na Rua de São Pedro e conta com entrada dupla, pelo Largo das Alcaçarias e Rua de São Pedro.

Nesta cerimónia, e na visita feita à oficina, destacam-se as homenagens às duas grandes Escolas Tradicionais na Arte da Construção da Guitarra Portuguesa: a de Gilberto Grácio e a de Óscar Cardoso.

Sara Pereira destacou que o mau tempo que se fez sentir, a espaços, em Lisboa, “alterou os planos mas não tirou a alegria nem tantos e extraordinários músicos”, olhando para os 50 que no piso inferior estavam prontos a tocar.

Fernando Medina deixou desde já o desafio para “reproduzir este grupo de músicos” num outro espaço de modo a ser gravado para memória futura e assim poder ter muito mais pessoas a assistir a um momento que o deixou “siderado”. Acrescentou ainda que “este projecto que é aqui aberto é a pedra final da candidatura do Fado a Património Imaterial da Humanidade”, revelando que “avançar com este projecto é tão marcante” e que é “muito tocante ver” tantos músicos ali reunidos.

Pedro de Castro, que liderou a primeira actuação da tarde, em declarações ao Infocul, destacou que “isto é uma transmissão oral, é um instrumento que não existe me mais nenhuma outra parte do mundo, estes são os dois construtores que além de serem grandes construtores, já vem de tradição familiar de gerações” expressando a vontade de que “isso continue a passar para as próximas gerações”.

Sobre os dois mestres disse que “são muito diferentes, ou seja, há quem tenha guitarra dos dois construtores, há quem tenha só de um, há quem tenha só de outro, não há de todo um primeiro e segundo lugar, há quem goste mais das guitarras, das violas de um ou outro, há para todo os gostos. Numa coisa são consensuais, são os grandes construtores que temos de guitarras de Lisboa e Coimbra. Obviamente que há outros construtores, não estou a menosprezar, mas estes são consensuais e que toda a gente usa e mesmo que não use, já teve uma guitarra de um deles”.

Nesta oficina haverá espaços de construção, projecção de filmes, postos de consulta sobre guitarreiros e guitarristas, e ainda um espaço de venda de instrumentos e acessórios para a guitarra portuguesa.

No ano lectivo 2019/2020 inicia-se o Curso de Construção de Guitarra. Até lá, entre Maio e Setembro, a Oficina apresentará uma programação regular de ateliers e workshops em torno das diferentes etapas de construção de uma guitarra portuguesa.

O público pode visitar a oficina mediante marcação prévia, através dos contactos do Museu do Fado.

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Arlindo Homem

2 thoughts on “Museu do Fado inaugurou Oficina da Guitarra e prestou homenagem aos “grandes construtores”, Gilberto Grácio e Óscar Cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.