As Naus, de António Lobo Antunes, prefaciado por Ricardo Araújo Pereira: O novo livro da Colecção RTP

capapeq_as_naus

 

“As Naus”, de António Lobo Antunes e com prefácio de Ricardo Araújo Pereira é o próximo livro da Coleção Essencial – Livros RTP. A publicação é o sexto livro desta coleção e chega esta semana às livrarias. O livro, como todos os desta coleção iniciada em Abril, será comercializado em capa dura e pelo preço de 10 euros. A curadoria da coleção é de Zeferino Coelho, um dos mais considerados editores do mundo de língua portuguesa, editor da Caminho, integrada na LeYa.

 

 

“E se, num livro publicado no ano em que passavam precisamente cinco séculos sobre a descoberta do caminho marítimo para a Índia, esses 500 anos coubessem num par de dias, e aí se misturassem astrolábios e nylon, escorbuto e heroína, ninfas e travestis, naus e aviões, o achamento do Brasil e o retorno de Angola?”, é desta forma que Ricardo Araújo Pereira inicia o prefácio do livro.

 

 

Em imaginoso encontro de tempos e espaços, figuras diversas da História e da Literatura portuguesas (sobretudo dos séculos XVI e XVII), a par de um casal anónimo vindo da Guiné e de algumas figuras estrangeiras de renome, encontram-se em Lisboa na situação de retornados no pós-25 de Abril de 1974. Subvertendo as histórias individuais dessas diferentes personalidades, como Pedro Álvares Cabral, Luís de Camões, Francisco Xavier, Diogo Cão, Manuel de Sousa de Sepúlveda, Vasco da Gama, Fernão Mendes Pinto. Neste livro conta-se as suas vidas em terras africanas, diferentes das que a História consagrou como tendo sido o seu percurso, e de como na sua maior parte se ocupam, após o regresso à metrópole, de actividades menos dignificantes que vão do proxenetismo de Francisco Xavier e Fernão Mendes Pinto à exploração de boîtes e bares manhosos por Manoel de Sousa de Sepúlveda e à batota no jogo da sueca de Vasco da Gama.

 

 

Projectando nos vultos históricos de navegadores, escritores, heróis e missionários a inditosa aventura de retorno dos colonos no pós-25 de Abril de 1974, multiplicando neles as marcas do descalabro e da irrisão (físicas e morais), recorrendo a efeitos de burlesco, de sátira e de rebaixamento carnavalescos, inverte António Lobo Antunes o assaz mitificado e glorioso sentido dos descobrimentos portugueses, reescrevendo assim “Os Lusíadas” em modo paródico.

 

 

O autor, nascido em Lisboa, é um dos mais importantes da literatura portuguesa. Todo o trabalho literário que realizou, até ao momento, tem sido, ao longo dos ans, objecto dos mais diversos estudos, académicos ou não, e dos mais importantes prémios, nacionais e internacionais. A sua obra encontra-se traduzida em inúmeros países.

 

 

A Coleção Essencial – Livros RTP tem previsto a publicação de 25 livros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.